UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/02/2010 - 11h57

Medicamentos devem ficar quase 5% mais caros em março

SÃO PAULO – O brasileiro deve gastar quase 5% a mais quando for à farmácia, a partir do próximo dia 31 de março, segundo projeções da Tendências Consultoria.

De acordo com o economista da instituição, Alexandre Gallotti, o acumulado de março de 2009 a fevereiro deste ano do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e utilizado como base no reajuste de medicamentos, deve ficar em torno de 4,91%.

Este valor, acredita ele, deve ser totalmente repassado à categoria de remédios, que conta com mais de 20% de genéricos, chamada de nível um. “O governo acredita que, por ter mais medicamentos genéricos, a categoria tem maior concorrência, o que possibilita um reajuste mais elevado”, diz.

Já nos chamados níveis dois e três, cuja composição de genéricos é de 15% a 20%, ou de menos de 15%, respectivamente, os aumentos devem ficar, nesta ordem, em 4,72% e 4,53%.

Reajuste

O reajuste de preços dos medicamentos foi autorizado na última quarta-feira (24) pela Cmed (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos), por meio de resolução publicada no Diário Oficial da União.

A medida começa a valer a partir de 31 de março, após a publicação oficial do IPCA de fevereiro de 2010, quando a Cmed ditará resolução específica dispondo sobre a forma de definição do preço fabricante e do preço máximo ao consumidor.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host