UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/03/2010 - 17h21

Anfavea: setor automotivo não pretende prolongar a vigência da redução do IPI

SÃO PAULO - O presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), Jackson Schneider, afirmou nesta quinta-feira (4) que o setor automotivo não está tentado prolongar a vigência da redução de IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados).

"Nós trabalhamos com o anúncio que foi feito. Não estamos fazendo movimentação nenhuma (para prorrogar o prazo). As projeções de produção estão trabalhando com a finalização do benefício no último dia de março", afirmou, durante a divulgação dos dados de fevereiro do setor, conforme publicado pela Agência Brasil.

Ainda segundo ele, a indústria automotiva já se programou para o encerramento do desconto no tributo no final deste mês.

Impostos

A afirmação de Schneider veio um dia depois de o presidente da Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores), Sérgio Reze, dizer que, mesmo sem o benefício do IPI reduzido, o ano deve ser bom para os brasileiros que pretendem comprar carro.

"Sabemos que o IPI reduzido não vai voltar. O governo foi claro ao garantir que as medidas adotadas para conter os impactos da crise não seriam novamente prorrogadas. E nós nem achamos que a prorrogação seja necessária. Estamos em um momento de forte recuperação econômica e em momentos assim, as vendas acontecem naturalmente", afirmou Reze.

Vendas

Segundo a Anfavea, a venda de veículos novos nos dois primeiros meses deste ano foi a maior já registrada pela indústria automotiva em um bimestre.

Em janeiro e fevereiro, foram vendidas 396.820 unidades, número 9,4% superior ao total comercializado no mesmo período do ano passado, segundo a Agência Brasil.

Para Schneider, o crescimento da economia brasileira e a antecipação das vendas, devido ao anúncio do fim da redução do IPI, estão entre os principais fatores para explicar a alta.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host