UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/03/2010 - 19h56

Fundos Globais de ações e renda fixa quebram recordes de captação na semana

SÃO PAULO - Durante a semana encerrada no último dia 3 de março, os fundos globais bateram recordes de captação tanto na renda variável quanto na renda fixa, mostrou o relatório semanal da EPFR Global, que acompanha o mercado global de fundos. O documento ainda traz Europa e China mais uma vez como os destaques negativos.

Os Global Bond Funds, que investem em títulos de dívida, registraram entrada de US$ 2,6 bilhões em investimentos na última semana, maior montante captado desde que a EPFR começou a acompanhar semanalmente o desempenho desse segmento, em 2000. No acumulado do ano, o total de capital que já ingressou nesse grupo de fundos chega a US$ 16 bilhões. No mesmo período do ano passado, foi visto um resgate de US$ 3 bilhões.

Passando da esfera mundial para a nacional, destaque para os fundos norte-americanos de títulos de dívidas, que absorveram US$ 2 bilhões na semana terminada na última quarta-feira (3), chegando à sua 61ª semana consecutiva de fluxo positivo. O mesmo bom desempenho foi visto nos fundos de títulos de dívidas dos mercados emergentes, atingindo a marca de US$ 4 bilhões em 2010.

Fundos de ações: desenvolvidos

Os fundos de ações também alcançaram novas máximas na última semana. Segundo a EPFR, o grupo Global Equity Funds teve um saldo positivo líquido de US$ 1,7 bilhão no período, sendo o maior volume captado desde outubro de 2007.

Entre os países desenvolvidos, destaque para o Japão, cujos fundos de ações têm acumulado um desempenho positivo nas últimas dez semanas, e para os Estados Unidos, que chegaram à sua terceira semana seguida de fluxo positivo, fato que não ocorria desde dezembro de 2009.

Contrabalanceando a trajetória positiva desse mercado, os fundos de ações europeus foram os únicos entre os países desenvolvidos a postarem um resgate de capital na última semana. De acordo com a consultoria, o saldo negativo em US$ 657 milhões no período pode ser justificado pelo fraco crescimento de 0,1% do PIB (Produto Interno Bruto) da Zona do Euro no quarto trimestre de 2009, além das questões acerca da situação fiscal grega, que seguem se arrastando.

Fundos de ações: emergentes

Passando dos países ricos para os em desenvolvimento, os investimentos alocados nos fundos de ações de todas as economias emergentes não chegaram a somar US$ 240 milhões nessa semana, mostra o relatório. Seguindo a mesma tendência, os fundos de ações voltados ao BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) tiveram sua terceira semana seguida de captação positiva, embora num ritmo bem abaixo do que era visto no mesmo período em 2009.

Na trajetória contrária, aparece a China, que viu a oitava semana de retirada de capital de seus fundos de ações nesse ano. Segundo a EPFR, incertezas em torno da estratégia de saída dos aportes concedidos pelo governo chinês e as preocupações acerca de uma possível formação de bolha financeira colaboraram para o resgate de US$ 17 milhões no período.

Bens de consumo e commodities

Analisando os investimentos em fundos com atuação direcionada a um setor, o destaque positivo fica com o segmento de bens de consumo. Os fundos direcionados ao setor tiveram o melhor desempenho semanal dos últimos cinco anos.

Além deles, os fundos de investimentos em commodities viram a entrada de capital superar a saída em US$ 693 milhões, pondo ao fim a oito semanas consecutivas de captação negativa em meio às expectativas de crescimento na demanda dos países emergentes, com ênfase para Índia e Brasil, revela a EPFR.

Seguindo essa tendência, os fundos voltados aos setores de tecnologia e imobiliário também terminaram a semana no azul. Contudo, os fundos do setor financeiro registraram o quarto resgate das últimas cinco semanas, enquanto os fundos de empresas de telecomunicações seguem reportando um saldo negativo de capital, totalizando em 2010 um resgate na casa dos US$ 600 milhões.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host