UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/03/2010 - 10h05

Comércio: aumento da renda do consumidor influenciou alta de 10,4% nas vendas

SÃO PAULO – O aumento de 5,3% na massa salarial dos trabalhadores, registrado em janeiro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado, foi um dos fatores que elevou as vendas do comércio varejista em 10,40% no início de 2010, de acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada nesta quinta-feira (11).

Com o aumento da renda, o poder de compra do consumidor cresceu. Aliado à melhoria da economia, passados os efeitos da crise econômica, esse crescimento da massa salarial só fez com que os consumidores comprassem mais no primeiro mês deste ano.

Considerando o resultado das vendas do comércio varejista em janeiro, frente a dezembro, elas registraram crescimento de 2,70%. A receita nominal cresceu 3% na comparação com o último mês de 2009 e 12,30% na análise anual.

Itens básicos, IPI e crédito

Por conta do aumento do poder de compra, o setor que mais influenciou nos resultados das vendas em janeiro foi o de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo. Sozinho, esse segmento registrou aumento de 10,2%, frente a 2009, e respondeu por 47% da taxa global do varejo do mês.

Além da renda e melhoria das condições de crédito ao consumidor, a estabilidade dos preços dos alimentos no ano passado também influenciou o crescimento das vendas do segmento de Hipermercados. De fevereiro do ano passado a janeiro deste ano, os preços dos alimentos aumentaram apenas 1,4%, de acordo com o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Considerando as vendas em janeiro, na comparação com dezembro, o segmento registrou aumento de 1,4%. Nos últimos 12 meses, o incremento foi de 8,6%.

Outro setor que se destacou no primeiro mês do ano foi o de Móveis e eletrodomésticos. Antes do término da redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para alguns itens da linha branca, os consumidores foram às lojas para comprar os produtos beneficiados.

Essa corrida gerou um aumento de 17,7% no volume de vendas frente a janeiro de 2009. O percentual equivale a 30% da taxa global do varejo para o período. Na comparação com dezembro, o aumento foi de 7,9% e, no acumulado dos últimos 12 meses, o segmento registrou incremento de 3,1% nas vendas.

Outros segmentos

As vendas do segmento Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria também foram maiores em janeiro tanto na análise mensal (2%), como na anual (10,3%) e na dos últimos 12 meses (11,9%). O aumento da massa salarial e o fato de os produtos que compõem esse grupo serem essenciais foram os fatores que elevaram as vendas.

Outro segmento que impactou de maneira positiva os resultados das vendas do comércio varejista em janeiro foi o de Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação. A queda dos preços dos itens desse grupo, de cerca de 7% nos últimos 12 meses, foi o principal motivo que elevou as vendas em 32,2% na comparação anual e de 5,8% na análise frente a dezembro. 

Considerando os demais grupos analisados pelo IBGE, é possível constatar que todos registraram resultados positivos tanto na análise mensal, como na anual e na dos últimos 12 meses. Veja na tabela a seguir o desempenho de janeiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, das atividades do comércio:

Atividade Volume de Vendas Receita Nominal
Combustíveis e lubrificantes 4,8% 8,8%
Hiper e supermercados, prod. alimentícios e bebidas 10,2% 12,2%
Tecidos, vestuário e calçados 2,3% 8,3%
Móveis e eletrodomésticos 17,7% 16,0%
Artigos farmacêuticos, medicinais e perfumaria 10,3% 15,9%
Equip. e material para escritório e informática 32,2% 23,9%
Livros, jornais, revistas e papelaria 7,0% 11,4%
Outros artigos de uso pessoal e doméstico 6,0% 15,1%
Comércio Varejista 10,4% 12,3%

 

IPI também influenciou alta do comércio ampliado

O indicador do comércio varejista ampliado - que inclui os segmentos de Material de Construção e o de Veículos, Motos, Partes e Peças - registrou variação positiva de 10,3% no volume de vendas e 11,6% na receita nominal em janeiro, frente ao mesmo período de 2009.

Mais uma vez, o IPI e o retorno das condições de crédito para os consumidores ajudaram nos resultados. Somente o segmento de Veículos, motos, partes e peças registrou um aumento de 10,3% nas vendas sobre 2009.

O segmento de Material de construção, que fechou 2009 com queda de 5,9% nas vendas, sinaliza recuperação, já que, pelo terceiro mês seguido, registrou aumento nas vendas, de 9,5% na análise anual. Nesse segmento, a redução do IPI influenciou o resultado.

Análise regional

Na análise regional, a pesquisa do IBGE mostra que todos os estados apresentaram variações positivas no volume de vendas em janeiro, frente ao mesmo mês do ano anterior.

Os destaques ficaram com: Mato Grosso (18,2%), Acre (17,9%), Amapá (17,1%), Goiás (15,4%) e Ceará (13,2%).

Considerando os estados que mais contribuíram na composição da taxa global do comércio varejista, os destaques ficaram com São Paulo (11,7%), Rio de Janeiro (7,5%), Minas Gerais (10,3%), Paraná (10,7%) e Rio Grande do Sul (8,7%).

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host