UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/03/2010 - 19h20

Azul aceitará cheque pré-datado no pagamento de passagens aéreas

SÃO PAULO – Não possuir um cartão de crédito não será mais impeditivo para consumidores adquirirem passagens de avião. A companhia aérea Azul anunciou que começará a aceitar pagamentos com cheques pré-datados, em uma clara estratégia para atingir a Classe C, que tem, na forma de pagamento, uma das principais dificuldades para adotar o transporte aéreo.

“A gente vai aceitar quase todo mundo. Se você tem um CPF, endereço e conta no banco, daremos oportunidade para essas pessoas que não têm cartão de crédito ou não têm limite no cartão de crédito para pagar as passagens”, declarou o presidente da Azul, David Neeleman, em entrevista à InfoMoney.

O executivo explicou que, em um possível exemplo de compra, os clientes poderão pagar a 20% da passagem no momento da reserva, outros 25% até duas semanas antes do embarque e o restante após a volta, até 60 dias depois da viagem. A ideia da companhia é estimular as reservas antecipadas – especialmente com 30 dias antes da data.

“Se ela [a pessoa] espera chegar perto da data, a passagem de avião fica mais cara, o que não acontece com a passagem de ônibus, que fica sempre o mesmo preço. Se você comprar com antecedência, é possível pagar mais barato que o valor da passagem de ônibus. O problema é que geralmente a pessoa não tem dinheiro para pagar esse valor à vista”, explicou.

Neeleman declarou ainda que o cheque é a primeira fase. Dentro de dois ou três meses, as parcelas poderão ser pagas via débito automático, evitando que o cliente precise entregar pessoalmente os cheques no guichê da companhia. O pagamento com cheque, no entanto, permanecerá definitivamente como forma de pagamento das passagens aéreas da empresa, garante ele.

Educacional

O presidente da Azul disse ainda que a oferta de ônibus gratuito para levar os passageiros até o aeroporto já é uma das estratégias para atingir o público de baixa renda. “O ônibus também ajuda bastante a não gastar com o taxi, uma vez que ele já gastou com  a passagem”.

No caminho, segundo ele, vão sendo explicados detalhes sobre o avião, sobre o aeroporto, para o consumidor não ter medo. “Estamos ensinando esse público”, declarou.



Concorrência


Questionado se essa seria a maior estratégia da Azul para se destacar frente aos seus concorrentes, Neeleman afirmou que a classe C possui 100 milhões de pessoas, logo, há espaço para todo mundo. “Se quiséssemos vencer os outros, seria necessário que tivéssemos mais 400 aeronaves para atender sozinha a esse público”.

Para ele, as concorrentes também estão com ações para atender a Classe C. “Nossa taxa de ocupação é maior que a dos concorrentes, mas elas estão crescendo também. Elas estão aprendendo que, com mais pessoas viajando, diminuem os espaços vazios e isso é bom para o País”, finalizou.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host