UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/03/2010 - 13h08

Fim do IPI reduzido faz cair otimismo das famílias quanto ao consumo no curto prazo

SÃO PAULO - O fim das alíquotas reduzidas do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e a perspectiva de aceleração da inflação para 2010 fizeram as famílias ficarem menos otimistas quanto à perspectiva de consumo no curto prazo. Segundo a pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), intitulada ICF-Nacional (Pesquisa Nacional de Intenção de Consumo das Famílias), em março, 53,4% delas se declaram seguras quanto a adquirir bens ou serviços no curto prazo.

Apesar do patamar ainda elevado, o índice mostrou redução de 1,2% na comparação com o mês passado. Mesmo assim, o índice de curto prazo se mantém acima da média do ICF (137,3 pontos contra 133,3 pontos, respectivamente). Lembrando que a escala vai de zero a 200 pontos, o índice abaixo de 100 indica uma percepção negativa e, acima deste valor, positiva.

Novamente, as famílias de renda superior a 10 salários mínimos apresentaram a maior deterioração das expectativas em relação ao mês anterior (-1,9%). Nas famílias mais pobres, a perspectiva de consumo diminuiu 1,1% no mês.

Otimismo

Embora o índice nacional tenha apresentado queda, os índices regionais acusam perspectivas positivas para os próximos três meses, afirmou a CNC.

"A confirmação desse quadro é condizente com a recuperação do volume de vendas do comércio varejista, cujas taxas mensais têm acusado predominantemente crescimento desde maio de 2009 e apresentado aceleração desde outubro, aproximando-se do ritmo de expansão anterior à crise econômica", destaca o relatório.

O percentual das famílias que preveem seu nível de consumo no curto prazo igual ao do ano passado é de 27,3%, enquanto das que acham que comprarão menos é de 16%.

Bens duráveis

Ainda segundo o estudo, para 66,5% dos brasileiros o momento atual é favorável para a compra de bens duráveis. Este foi o subitem que apresentou maior queda (-6,8%) na comparação com a pesquisa do mês passado. Em fevereiro, eram 72% as famílias otimistas neste quesito.

Vigentes desde abril de 2009, as alíquotas reduzidas do IPI sustentaram o maior otimismo dos consumidores nos primeiros meses de 2010, sobretudo no que se refere ao consumo de itens da linha branca.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host