UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/03/2010 - 08h00

Internet: 96% das mulheres da classe C comparam preço na web antes de comprar

SÃO PAULO – Cerca de 96% das mulheres da classe C fazem ou já fizeram comparação de preços na internet. Esse é o resultado da pesquisa Etnografia Digital, desenvolvida pelas empresas Predicta e Multifocus, que estudou o comportamento de usuárias de internet no Brasil.

De acordo com o levantamento, 60% das mulheres dessa faixa de renda afirmaram que a internet as ajudou a diminuir o tempo gasto para pesquisar preços nas lojas físicas.

As compras, porém, não estão entre as principais motivações para se usar internet. Esse quesito é a razão mais importante para navegar para apenas 4% das entrevistadas. A maioria (71%) usa a web para se informar e conhecer novas pessoas. Outras 9% usam para se divertir e 9% para economizar tempo nas atividades.

Transações bancárias

Chega a 39% a quantidade de mulheres que não usam a internet para nenhum tipo de operação bancária. Cerca de 49% dizem usar às vezes e 12% usam serviços bancários frequentemente pela web. Das que usam com frequência, os serviços preferidos são consultar o saldo da conta-corrente (53%), pagar boletos (37%) e colocar contas no débito automático (12%).

Segurança

Quanto ao hábito de fazer compras pela internet, 26% das mulheres se sentem seguras em comprar pela web. Depois de adquirir algo, a proporção de consumidoras que costumam expressar opiniões a respeito dos produtos, marcas ou serviços é grande: 28% afirmam expressar suas opiniões com frequência, enquanto 26% já o fizeram algumas vezes e 14% fizeram isso uma vez. As que nunca comentaram sobre marcas na rede somam 32%.

Já da parcela das mulheres que não se sentem seguras para comprar pela internet, boa parte (30%) reclama da impossibilidade de analisar o produto “ao vivo” antes de fechar o negócio. Outras 25% colocam como dificuldade o fato de a maioria das compras ter de ser paga com cartão de crédito. O receio de o produto não chegar foi apontado por 19% delas, enquanto 16% acham a web um lugar pouco seguro para essas transações. O atraso na entrega foi citado por 9% das internautas.

Anúncios na web

Mais da metade das mulheres costuma clicar em anúncios na internet (54%), contra 46% que nunca clicaram. No ato da compra pela internet, 86% delas dão atenção às campanhas publicitárias sempre ou às vezes, contra apenas 14% que não se atentam às propagandas.

A pesquisa foi realizada durante 11 dias corridos (16 a 27 de dezembro de 2009), com 50 donas de casa com internet em domicílio, de 25 a 49 anos, residentes em São Paulo e com renda familiar de até 10 salários mínimos, ou seja, nível sócio-econômico C.

Segundo as consultorias, essa faixa de renda foi escolhida porque as famílias nesse patamar foram as que mais impulsionaram o crescimento da internet.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host