UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/04/2010 - 09h29

Fim de incentivo fiscal e aperto monetário devem fazer crédito recuar

SÃO PAULO - A concessão de crédito ao consumidor deve desacelerar durante o primeiro semestre de 2010. Dentre os motivos para isso, estão a retirada de estímulos fiscais, a perspectiva de aperto monetário e o uso de recursos direcionados no crédito imobiliário, em detrimento dos financiamentos com recursos livres.

No caso das empresas, há uma perspectiva de recuperação gradual. Os dados são dos indicadores Serasa Experian de Perspectiva de Crédito ao Consumidor e Perspectiva de Crédito às Empresas, divulgados nesta quinta-feira (8).

De acordo com os dados, em fevereiro, a perspectiva de concessão de crédito ao consumidor recuou 0,4%, registrando a terceira queda mensal consecutiva e atingindo o valor de 103,8. Já as perspectivas de crédito às empresas registraram leve aumento de 0,02%, atingindo o valor de 97,85.

Queda ao consumidor e às empresas

Os técnicos da Serasa destacaram que, apesar das quedas, a perspectiva de crédito ao consumidor continua acima de 100, o que indica que a desaceleração do crédito com recursos livres às pessoas físicas tende a ocorrer de forma gradual.

Um motivo apontado para isso foi a retirada de estímulos fiscais para a compra de eletroeletrônicos, móveis e veículos, além do aumento do recolhimento de compulsórios sobre depósitos à vista e a prazo e as perspectivas para o início do aumento da Selic a partir deste mês.

Conforme os economistas, os prognósticos bastantes favoráveis para o crédito imobiliário deste ano, financiado preponderantemente com recursos direcionados (poupança e FGTS,) também se constituem em um fator de desaceleração do crédito com recursos livres, usados para o consumo.

Considerando as empresas, os técnicos destacaram que a retração do crédito bancário com recursos livres ao longo de 2009, o crescimento da participação dos bancos públicos no mercado de crédito e a recuperação dos investimentos produtivos a partir do segundo semestre de 2009 contribuíram para o avanço das operações com recursos direcionados, em detrimento das operações com recursos livres, que devem retomar o equilíbrio ao final deste ano.

Sobre os indicadores

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva de Crédito ao Consumidor tem o objetivo de antever, em um horizonte de seis meses, as concessões reais de crédito ao consumidor.

Já o Indicador Serasa Experian de Perspectiva de Crédito às Empresas tem o objetivo de antever, em um horizonte de seis meses, em que fase do ciclo estarão a atividade econômica, as concessões reais de crédito às empresas e a inadimplência delas.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host