UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/04/2010 - 16h12

Número de voos ao exterior cresce 63% em sete anos

SÃO PAULO – A queda do dólar e a liberdade tarifária fizeram com que o número de voos partindo do Brasil ao exterior crescesse 63,4% em sete anos, revelaram dados divulgados pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) nesta segunda-feira (12).

São feitas 920 decolagens a cada semana do Brasil ao exterior, para 30 países, o que representa 130 voos por dia, sem considerar os de carga e as possibilidades de conexão para outros destinos. Em 2003, por sua vez, os brasileiros podiam partir para 26 países. Foram incluídos na rota Emirados Árabes, Israel, Turquia, China e Cabo Verde, enquanto Cuba foi retirada.

De acordo com a Anac, além da queda do dólar, que motivou as viagens ao exterior, as negociações de acordos aéreos com outros países e a liberdade tarifária, que acabou com o preço mínimo das passagens em viagens internacionais, também incentivaram o crescimento das partidas ao exterior.

A liberdade tarifária estará completa em 23 de abril e, com ela, as empresas podem praticar promoções, em especial nos períodos de baixa temporada, o que era limitado quando as tarifas eram controladas.

Companhias aéreas

As companhias estrangeiras expandiram mais as rotas ao exterior: eram 31 empresas em 2003, com 334 frequências por semana, e passaram a 42 empresas, com 591 partidas por semana.

Em relação às empresas brasileiras, o crescimento foi de 43,7%, com 100 novos voos para fora do País. Em 2003, eram feitas 229 decolagens por semana ao exterior, ante 329 atualmente. Antes, eram Varig, TAM e Meta que dividiam este mercado, mas agora existe a Gol/Varig e a TAM, que ganhou espaço no mercado.

O destino para o qual mais partem voos do Brasil é a Argentina, com 210 decolagens semanais, seguida por Estados Unidos (194 decolagens por semana), Uruguai (67decolagens por semana) e Portugal (58 decolagens por semana).

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host