UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/04/2010 - 17h53

Paulistanos com renda superior a 10 mínimos estão mais confiantes

SÃO PAULO - O ICC (Índice de Confiança do Consumidor) dos paulistanos com rendimentos superiores a 10 salários mínimos caiu 2,41% entre março e abril deste ano, atingindo 166,2 pontos.

Os consumidores paulistanos pertencentes à faixa de renda inferior a 10 salários mínimos também apresentaram variação negativa no período (-3,74%), indo para 149,3 pontos.

Os dados, divulgados na segunda-feira (12) pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo), apontam que o ICC varia de zero a 200 pontos, indicando pessimismo abaixo de 100 pontos e otimismo acima desse patamar.

Futuro e presente

Entre março e abril, considerando o IEC (Índice das Expectativas do Consumidor) dos consumidores de maior renda, a pesquisa aponta que o índice apresentou alta de 0,35%, passando para 170,7 pontos. Já o Icea (Índice das Condições Econômicas Atuais) recuou 6,51%, para 159,4 pontos.

Dos paulistanos com renda menor do que 10 salários mínimos, o IEC manteve-se estável em relação março, em 155,1 pontos. Já o Icea registrou queda de 9,35%, passando para 140,5 pontos.

Faixa etária

Segundo a Fecomercio-SP, os homens ainda estão mais otimistas do que as mulheres, apesar da queda no índice, com 153,6 pontos contra 150,8 pontos. Os índices deles e delas caíram 3,76% e 2,08%, respectivamente.

Além disso, o consumidor com idade inferior a 35 anos ainda é o mais confiante em abril, mesmo com queda de 1,84% no ICC, que chegou a 154,8 pontos. Entre os paulistanos da faixa etária superior a este patamar, o índice apresentou retração de 3,85% e atingiu 149,7 pontos.

No que diz respeito ao futuro, os homens, assim como as pessoas com mais de 35 anos, estão mais otimistas que as mulheres e os paulistanos com menos de 35 anos. O índice atingido por eles foi de 158,8 pontos, contra 156,7 delas. Já os menores de 35 anos alcançaram 159,8 pontos, contra 155,9 pontos dos mais velhos.

Sobre a pesquisa

O ICC é apurado mensalmente pela Fecomercio-SP desde 1994. Os dados são coletados com 2.100 pessoas no município de São Paulo.

O objetivo é identificar o sentimento dos consumidores, levando em conta suas condições econômicas atuais e suas expectativas quanto à situação econômica futura.

Os dados da pesquisa servem como um balizador para decisões de investimento e formação de estoques pelos varejistas, bem como para outros tipos de investimento das empresas.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host