UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

13/04/2010 - 12h37

Troca do hidrômetro visa a reduzir medições imprecisas no consumo de água

SÃO PAULO – Ao se defender de notícias veiculadas na imprensa que davam conta de que a troca do medidor de consumo de água (hidrômetro) fazem aumentar o valor da conta dos consumidores, a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) afirmou que os novos aparelhos visam a detectar a submedição, evitando, assim, desperdícios.

“Não se trata de aumento de cobrança na conta e, sim, de medição correta do que o cliente consome por mês”, afirmou a companhia, em nota.

A Sabesp esclareceu ainda que, por ano, são feitas quase 1 milhão de substituições de hidrômetros. Cada equipamento tem uma vida útil de 8 anos. A empresa possui quase 7 milhões de medidores nos 365 municípios em que atua.

“A troca do hidrômetro permite a eficiência na prestação dos serviços e o uso racional da água por parte dos usuários. Outro ponto importante é a cobrança justa do valor da conta de água, pois há um custo considerável no processo de captação e tratamento do produto até que seja distribuído à população”.

Dicas para evitar desperdícios

Um dos maiores inimigos da água e do aumento no valor da conta são os vazamentos. A Sabesp aconselha os consumidores a verificarem semanalmente a leitura marcada no hidrômetro. Dessa forma, esse problema pode ser detectado através de um consumo controlado, o que evita o desperdício.

Além disso, dependendo do tempo de uso e das condições de conservação, o aparelho se desgasta e começa a marcar consumo errado de água, sendo necessário substitui-lo por um novo. Especialmente quando a pressão é fraca, as peças internas desgastadas deixam a água passar sem fazer a medição correta.

A idade média dos hidrômetros na Grande São Paulo é de 3,8 anos. A troca é feita pela Sabesp, sem custo ao usuário. O prazo médio de troca é de seis anos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host