UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/04/2010 - 08h46

Com fim do IPI reduzido, concessionárias registraram queda de 30% nas vendas

SÃO PAULO – As concessionárias já estão sentindo os efeitos do fim do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) reduzido para carros flex. No último fim de semana, as vendas registraram queda de cerca de 30%, de acordo com o Ayrton Fontes, economista da Agência MSantos.

 

De acordo com o relatório da consultoria LCA, divulgado na última semana, os consumidores aproveitaram o benefício fiscal para antecipar as compras de veículos. Segundo a consultoria, a venda de 320 mil unidades de autos e comerciais leves foi antecipada entre dezembro de 2008 e abril de 2010 por conta do benefício.

Para Fontes, a antecipação das compras foi de fato o principal fator para que as vendas declinassem nos últimos dias. “Em maio já se espera uma queda ainda maior”, afirmou o economista.

Para os analistas da LCA, esse comportamento do mercado é normal. “Com efeito, a redução temporária do IPI gerou uma antecipação de compras relevante, que deverá atuar como um 'freio natural' no consumo nos próximos meses”, avaliaram em relatório. 

Vendas de abril ainda devem ser altas

De acordo com Santos, apesar das quedas registradas no último fim de semana, abril ainda deve registrar vendas elevadas. Ele estima que 290 mil unidades devem ser comercializadas até o final deste mês, “pois refletem ainda as vendas do final de março e início de abril”.

O último relatório da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) mostra que o número de veículos de passeio emplacados registrou alta de 13,49% na primeira quinzena deste mês, na comparação com a mesma quinzena de março.

Nos primeiros 15 dias deste mês, 120.875 mil unidades foram vendidas. O número é 14,95% maior que as unidades vendidas em igual período do mês passado (105.158 unidades) e 23,06% maior, se comparado aos autos vendidos na primeira quinzena de abril de 2009 (93.227 unidades).

E mesmo com as previsões de quedas nas vendas nos próximos meses, as montadoras continuam produzindo para o mercado interno, uma vez que ainda sentem dificuldades de realizar comercializações no mercado externo. “Os estoques das concessionárias estão elevados”, afirmou Fontes.

Aumento dos juros e dos preços

Além da antecipação das compras, outros fatores devem afastar os consumidores das concessionárias. O esperado aumento dos preços dos veículos é um deles. Fontes acredita que o fim do IPI reduzido e o aumento do preço do aço deve elevar em cerca de 8% os preços dos veículos.

Já com relação aos juros, Fontes calcula que os bancos que financiam veículos já aumentaram em mais de 10% as taxas. Aumento que deve ser maior caso o BC eleve de fato a taxa básica de juros (Selic). “O BC deve aumentar em pelo menos 0,75% a taxa Selic, com forte tendência de alta até o final do ano”, acredita Fontes.

 

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host