UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/05/2010 - 18h02

Casamento x vida financeira: vida a dois vai além de festas e lua-de-mel

SÃO PAULO - Mês de maio, mês da noivas. Nesta época do ano, inúmeros casais decidem oficializar a relação, o que envolve igreja, festa, lua-de-mel, presentes. Mas, além das comemorações, que sem dúvida são momentos inesquecíveis para o casal, é importante avaliar e planejar a vida a dois, principalmente quando se trata do aspecto financeiro.

Pode até parecer pouco romântico, mas falar sobre orçamento, dinheiro e finanças pessoais faz parte de vida e o assunto deve, sim, ser considerado quanto o tema é casamento. Regime de bens, compatibilidade financeira, orçamento doméstico. Como vocês encaram esses assuntos?

8 passos para o altar

Casamento é coisa séria e é importante conversar sobre dinheiro e conhecer o parceiro (a) financeiramente, senão podem aparecer surpresas não muito agradáveis no futuro.

Para facilitar, que tal avaliar, de acordo com as dicas abaixo, como anda a compatibilidade financeira do casal?

1 – Fale sobre dinheiro - Para haver harmonia entre o casal, é preciso que um aprenda lidar com os desejos de consumo do outro e isso não é fácil, quando o dinheiro é tratado como tabu na relação.

2 – Conheça seu parceiro financeiramente e não tenha medo das diferenças - o fato de que vocês não pensam exatamente igual não precisa ser visto como algo que pode ameaçar o futuro de vocês e, sim, como uma oportunidade a mais para reflexão e discussão do assunto!

3 – Planeje um futuro a dois - A vida a dois pede mais poupança e cautela na hora de gastar, além de planejamento, para pensar em patrimônio, filhos etc.

4 – Mais do que somar, casamento é dividir - Hoje, o casal tem de saber dividir as obrigações, sejam elas financeiras, sejam da rotina do lar. O costume de que a mulher deve ficar em casa, enquanto o homem é responsável pelo sustento do lar, é coisa do passado.

5 – Tome decisões em conjunto - É importante que a opinião dos dois seja levada em consideração na hora de se decidir sobre o melhor uso para o dinheiro. O bom senso e o diálogo devem prevalecer e não a renda mensal.

6 – Fale sobre regime de bens - Apesar de parecer pouco romântico em um primeiro momento, ao planejar uma união, é necessário pensar em preservação de patrimônio e em amparo e, assim, pensar em sucessão e herança. O primeiro passo para o planejamento sucessório é a escolha do regime de bens.

7 – Aprenda com os erros - É bastante provável que, ao longo da vida, vocês tenham visões distintas quanto ao uso mais eficiente do dinheiro. Mas, ao invés de alimentar mágoas que podem destruir a relação, tente aprender com os erros.

8 – Dinheiro não é prioridade - Atenção para que a discussão sobre o planejamento financeiro não acabe separando vocês. Lembre-se: o objetivo deve ser construir uma vida e um patrimônio juntos e não destruir o relacionamento.

E fica uma última dica: dinheiro definitivamente não é essencial para o sucesso de um casamento, mas a desconfiança financeira pode acabar com qualquer união. Pensem nisso!

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host