UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/05/2010 - 17h32

Turistas que vão à Copa da África preferem o VTM na compra da moeda local

SÃO PAULO – Uma das preocupações dos brasileiros ao deixar o País, seja a turismo, seja a negócios, é como arcar com as despesas no país de destino. Para os turistas brasileiros que vão à Copa da África do Sul, estimados em 15 mil, 80% têm optado em levar o rand (moeda sul-africana) em cartões pré-pagos, os VTM.

De acordo com o vice-presidente de marketing da Confidence Câmbio, que comercializa o cartão, Paulo Renato Della Volpe, há uma preferência clara pelo VTM nas movimentações em rand, inclusive na comparação com outras moedas. Segundo Della Volpe, nas demais moedas (dólar americano, libra esterlina e euro), o cartão pré-pago é a opção de 40% dos turistas que buscam a corretora antes de viajar.

Cartão ou papel?

Segundo estimativa da corretora, as vendas de cartões pré-pagos crescem, em média, 20% nos períodos de Copa do Mundo, em comparação com os outros anos.

Entre as vantagens do VTM sobre outras modalidades de pagamento no exterior, está o custo. O cartão pré-pago não está sujeito à variação cambial e à incidência de IOF por uso no exterior, como ocorre com os cartões de crédito. Pode ser carregado no Brasil ou a distância, até o limite de US$ 5 mil, e o saque é feito em moeda local, em mais de 125 mil estabelecimentos comerciais e 17 mil caixas automáticos credenciados à Rede Visa na África do Sul.

Para quem optar pelo papel, a moeda sul-africana deve surpreender por sua originalidade: as notas do rand trazem impressos os big five - os cinco animais símbolo da fauna sul-africana. A nota de 10 é verde e tem estampada a imagem do rinoceronte. A nota de 20 é marrom-escura e caracterizada pelo elefante. A nota de 50 é vermelha e traz a imagem do leão. A nota de 100 é azul, com o búfalo. Já a nota de 200 é marrom-clara e vem estampada com o leopardo. As notas têm tamanhos diferentes: quanto maior o valor, maior a nota.

Com relação à cotação da moeda, na história recente, o rand tem oscilado pouco em relação à cotação do real. Desde setembro de 2009 até agora, verificou-se uma variação de apenas 8% entre a mínima e a máxima observada no período.

Busca deve crescer na próxima semana

Com a proximidade do mundial, que começa em 11 de junho, a busca pela moeda sul-africana deve crescer nos próximos dias. Para Della Volpe, uma “explosão” de compra deve acontecer na próxima semana.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host