UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/05/2010 - 15h55

Despesas de condomínios em SP variam até seis vezes, conforme o empreendimento

SÃO PAULO – Os gastos verificados nos condomínios residenciais da cidade de São Paulo podem variar até 500%, dependendo do tipo de empreendimento. Um levantamento realizado pela Lello, empresa que administra condomínios no estado, analisou as principais despesas dos conjuntos paulistas.

Os dados mostraram que pelo menos metade dos gastos gerados pelos condomínios é referente à folha de pagamento dos funcionários. O valor médio é de R$ 13 mil por mês nos condomínios clássicos, R$ 36,1 mil nos grandes conjuntos, R$ 65 mil nos de tipo clube e R$ 18 mil nos de alto padrão, incluindo gastos com salários, normas a serem cumpridas, retenções e impostos.

A seguir, estão as despesas com concessionárias de energia elétrica, água e gás. Nos condomínios clássicos, esse gasto totaliza R$ 5,8 mil, nos grandes conjuntos chega a R$ 17,2 mil, nos condomínios-clube, a R$ 35 mil, e nos de alto padrão, a R$ 5,3 mil.

“O fator decisivo para a definição dos gastos mensais é a estrutura de cada condomínio, seus equipamentos, contratos e, principalmente, o quadro de funcionários, que é decisivo para a apuração das despesas totais”, afirma Angélica Delgado Arbex, gerente de Marketing da Lello Condomínios.Também foram constatadas despesas com conservação de equipamentos das áreas comuns, com compras de material, administrativas e com seguro.

Tipos de condomínios 

Segundo o estudo, o gasto médio mensal nos chamados prédios-padrão, com 64 apartamentos e valor de condomínio individual de R$ 400, é de R$ 25 mil, enquanto o de condomínios do tipo clube, que viraram moda na cidade nos últimos cinco anos, é de R$ 150 mil, o que leva a uma diferença de 500%.

Já nos chamados grandes conjuntos, que são os condomínios com várias torres, a média mensal é de R$ 76 mil, e nos prédios de alto padrão, de R$ 30 mil.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host