UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/05/2010 - 13h48

American BankNote e AES Tietê dividem a preferência dos analistas em maio

SÃO PAULO -  Pela quarta vez desde que teve início a compilação elaborada pela InfoMoney - em fevereiro de 2007 -, as ações ordinárias da AES Tietê (GETI3) conseguiram a preferência dos analistas em maio, de acordo com o MCI (índice de consenso de mercado). O indicador, que compila a análise de 24 corretoras e bancos de investimento, atribui a nota 5,00 (máxima) aos ativos da AES, refletindo principalmente as boas perspectivas para o setor elétrico no Brasil.

Dividindo o posto de ação mais recomendada do mês, a American BankNote (ABNB3) subiu duas posições em relação ao mês passando, conquistando nota máxima (5,00) dos analistas em maio. As recomendações aos papéis da companhia refletem principalmente os dados setorias positivos que foram revelados ao longo deste quinto mês do ano.

Para uma melhor interpretação do MCI, é sempre importante considerar o número de avaliações atribuídas a cada ativo. Uma maior quantidade de opiniões tende a tornar mais robusta a sugestão. Neste caso especificamente, vale ressaltar que os papéis da AES Tietê receberam o limite mínimo para ser considerado dentro da metodologia do indicador: três sugestões. Já os ativos da American BankNote receberam seis recomendações.

Outro ponto importante do indicador é que ele considera os princípios de análise fundamentalista, sendo, portanto, mais recomendado para investidores que atuam com foco no longo prazo.

Medalha de ouro Em linhas gerais, as boas perspectivas para o setor elétrico e os resultados do primeiro trimestre influenciaram as recomendações aos papéis da AES Tietê no quinto mês deste ano. De acordo com o Morgan Stanley, o Brasil precisa dobrar sua taxa de investimento em infraestrutura para 4% do PIB (Produto Interno Bruto) se quiser crescer 5% ao ano na próxima década. Entre as companhias sujeitas a se beneficiar deste processo, o banco lista a AES Tietê.

No noticiário do setor, a EPE (Empresa de Pesquisa Energética) divulgou recentemente os dados referentes ao consumo de energia no Brasil em abril. No período, foi consumido 35.365 GWh, uma forte elevação de 9,1% em relação ao mesmo mês de 2009. O resultado ficou praticamente estável frente à março de 2010. Já no acumulado dos 12 meses, o aumento no consumo de energia foi de 2,8%.

"Os dados de abril divulgados pela EPE mostram a recuperação no consumo de energia elétrica no Brasil em comparação ao ano anterior", avaliou positivamente o analista Rafael Quintanilha, da Brascan Corretora.

Ademais, a AES Tietê divulgou em meados de maio os seus resultados referentes ao primeiro trimestre de 2010. Em relação aos primeiros três meses de 2009, a empresa registrou crescimento de 10,9% em seu lucro líquido. Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) apurado foi 10,5% maior na mesma base de comparação.

"A AES Tietê apresentou números ligeiramente acima da expectativa do mercado e sem detalhes negativos relacionado aos resultados. A empresa mantém-se na sua trajetória de estabilidade e vem se aproveitando da melhora das condições no mercado de energia e hidrologia estável nas usinas da geradora", disse o analista Ricardo Corrêa, da Ativa Corretora.

Junto com a divulgação de resultados, o diretor financeiro e de relações com investidores da empresa disse que 100% do lucro líquido do trimestre será distribuído na forma de dividendos, o que animou ainda mais os investidores. O papel da AES Tietê já é conhecido por ser um ativo defensivo bastante procurado pelos investidores mais conservadores.

Destacada potencialmente por seu resultado “bastante positivo” e acima das expectativas do mercado, a companhia também figurou entre as top pciks da XP para a última semana por ser considerada uma “opção de investimento resiliente, com um beta reduzido”. A XP ressaltou que este é um papel que costuma performar bem em momentos de maior nervosismo nos mercados.

As mais recomendadas
Ação MCI Avaliações
AES Tietê ON 5,00 3
American BankNote ON 5,00 6

Marfrig ON 4,65 11
Saraiva PN 4,58 3
Brookfield ON 4,50 7
Petrobras PN 4,42 16
Lojas Americanas PN 4,39 18
Itaúsa PN 4,38 10
Fert. Heringer ON 4,38 5
Telemar PNA 4,33 11
Vale ON 4,33 9
Pódio dividido

Dividindo o primeiro lugar no MCI, os papéis da American BankNote também se beneficiam do cenário positivo ao setor. Após forte avanço no mês anterior, a produção industrial brasileira ficou praticamente estável em abril, registrando 51 pontos, segundo dados da Sondagem Industrial, divulgada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria).

O indicador mensura o desempenho e as expectativas para o setor, dando nota de 0 a 100 pontos. Abaixo dos 50 pontos quer dizer uma queda no desempenho ou uma perspectiva negativa. Já acima desse limite, é indicado um crescimento ou um horizonte mais favorável para o setor. A pesquisa foi feita com 1.214 empresas - 688 de pequeno porte, 351 de médio porte e 175 de grande porte.

Seguindo a tendência da produção industrial do País, o índice de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) recuou de 54 pontos em março para 50 pontos no mês passado. Já os estoques permaneceram abaixo do planejado em abril, marcando 48,7 pontos.

Já as expectativas dos entrevistados pela CNI para os próximos seis meses seguem bastante positivas. Segundo a Sondagem Industrial, a perspectiva sobre as compras de matérias-primas registraram 62,2 pontos, resultado superior à sua média histórica, de 55,5 pontos.

No mesmo sentido, a demanda prevista para o setor é de 64,4 pontos, número acima da média histórica de 59,2 pontos. Por fim, o índice para mensurar as exportações previstas manteve-se em 52 pontos, "o que indica expectativas positivas para os próximos seis meses", disse a confederação em seu relatório.

Contribuindo para o noticiário favorável ao setor industrial, a taxa de emprego na indústria brasileira aumentou 2,4% em março, na comparação com o mesmo mês de 2009. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o resultado é o maior desde agosto de 2008, quando o crescimento foi de 2,5%.

Também ajudou nas recomendações positivas aos papéis da American BankNote a implementação de um novo plano de recompra de suas ações em circulação no mercado, com o objetivo de mantê-las em tesouraria para uma posterior alienação ou para poder cumprir com seu plano de opção de compra de ações.

A operação, aprovada pelo Conselho de Administração da empresa, terá um prazo de 365 dias contados desde 19 de maio para ser executada. O total de ações ordinárias a serem adquiridas é de até 1 milhão, o que equivale a 1,94% dos ativos atualmente em circulação (51,5 milhões de ativos).

Marfrig

A boa fase ao setor de consumo, por sua vez, somou para as recomendações da Marfrig (MRFG3). A companhia registrou lucro líquido de R$ 41,7 milhões no primeiro trimestre deste ano, revertendo o prejuízo de R$ 38,2 milhões registrado no mesmo período de 2009. Já a receita líquida teve crescimento de 43,2% em relação aos três primeiros meses de 2009, somando R$ 3,2 bilhões no 1T10. 

"De um modo geral os resultados vieram em linha com o esperado. Destacamos a tendência de aumento na lucratividade em cada um dos segmentos, além da captura de sinergias. Acreditamos na recuperação gradual do comércio internacional, cabendo salientar que a crise na Europa é um risco desta operação ser mais lenta. Nossa recomendação é de compra", avaliou Mariana Marcolin Peringer, analista do BB Investimentos.

Também influenciou as recomendações do mês a notícia de que a Marfrig adquiriu a O'Kane Poultry, companhia localizada na Irlanda do Norte, pela cifra de £ 26 milhões. De acordo com nota emitida ao mercado, o pagamento ocorrerá em duas parcelas: £ 13 milhões em 25 de maio e igual quantia em junho de 2011. 

Ainda segundo a Marfrig, a aquisição se dará através de suas subsidiárias Marfrig Holdings BV e Moy Park. "O investimento será feito com recursos gerados e já disponíveis na Moy Park e substituirá parte da expansão orgânica de capacidade prevista naquela divisão para 2010", informou.

A O’Kane Poultry vai contribuir para a operação europeia da Marfrig em termos da diversificação de produtos e acesso às redes varejistas do Reino Unido. Ela possui capacidade diária de processamento de 120 mil frangos e 5 mil perus e, em 2009 teve faturamento de £ 132 milhões.

O que é o MCI?

O Market Consensus Indicator (MCI) tem como principal objetivo facilitar as decisões de investimento dos usuários do site no mercado de ações. Considerando uma amostra com informações e projeções de diversos bancos de investimento e corretoras, o benchmark busca trazer um indicador de consenso entre os analistas de mercado a respeito das recomendações de uma determinada ação.

Variando em uma escala de 0 (venda forte) a 5 (compra forte), o indicador é calculado a partir das recomendações dos analistas consultados, trazendo um resumo do consenso. É importante destacar que o MCI é calculado apenas para ações com ao menos três recomendações de analistas distintos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host