UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/05/2010 - 18h39

Bolsa é o pior investimento do mês; dólar ganha mais que o ouro

SÃO PAULO – Em meio ao clima incerto dos mercados e a contínua volatilidade vista nas últimas semanas, o dólar acompanhado pela variação da Ptax ficou com o posto de melhor investimento do mês de maio, com ganhos nominais de 4,34%. Vale mencionar que o dólar comercial encerrou o mês com alta de 4,8%, pondo fim a três meses consecutivos de baixa.

O investimento em ouro, por sua vez, ficou com a vice-liderança no mês, com rentabilidade nominal de 3,15% no mês. Vista como uma alternativa de proteção de capital, a commodity se beneficiou do forte sentimento de aversão ao risco que tomou conta dos mercados no período – resultado, principalmente, do noticiário internacional.

Considerando os ganhos nominais – ou seja, descontando o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercados), que marcou 1,19% no mês – dólar e ouro foram as únicas no campo positivo, com variação de 3,11% e 1,94%, respectivamente.

Já o Ibovespa viu as perdas se intensificarem em maio, refletindo o momento instável da renda variável. O índice teve seu pior mês desde outubro de 2008, auge da crise financeira, registrando retorno nominal de -6,64% - angariando novamente o posto de pior investimento do mês, assim como em abril. A queda, contudo, foi um pouco menor do que a vista nos principais índices dos EUA, que encerraram o período com desvalorização de mais de 8%.

Nas alternativas de renda fixa, a aplicação em CDBs pré-fixados de 30 dias garantiu retorno nominal médio de 0,79% em maio, pouco acima do benchmark CDI (+0,75%). A caderneta de poupança, por sua vez, apresentou retorno nominal de 0,55% no mês.

Europa segue em pauta

O cenário europeu continuou sendo o principal foco dos mercados, e também o maior gerador de instabilidade. Em meio à aprovação de pacotes de austeridade fiscal em países como Itália, Grã Bretanha, Grécia e Espanha, os temores de contágio de outras economias e do sistema bancário aumentaram. O corte do rating espanhol promovido pela Fitch não ajudou a melhorar as perspectivas para a região, assim como a proibição alemã ao naked short selling.

Nos EUA, a segunda prévia do PIB do país referente ao primeiro trimestre de 2010 revelou uma expansão anualizada de 3,0%, patamar inferior às expectativas do mercado, de 3,3%. Por lá repercutiu ainda a aprovação da reforma financeira pelo senado norte-americano.

Por aqui, o início do mês foi marcado ainda pela temporada de divulgação de resultados, que contou com os números das principais blue chips do País: Vale (VALE3, VALE5) e Petrobras (PETR3, PETR4). No caso da estatal, contudo, os números foram ofuscados pela ansiedade dos investidores sobre a capitalização da empresa, prevista para junho.

Além disso, na China, a inflação registrou em abril sua maior alta dos últimos 18 meses, deflagrando maiores temores de um aperto monetário.

TIM e Ecodiesel nas pontas do Ibovespa

Liderando os ganhos do Ibovespa, as ações ordinárias da TIM (TCSL3) avançaram 14,92% em maio. O setor de telecomunicações brasileiro teve um mês agitado, com destaque para a tentativa da Telefónica em comprar a fatia da Portugal Telecom na Vivo (VIV04).

As recomendações para os ativos do setor também ficaram em foco. O BTG Pactual, por exemplo, recomendou a compra das ações das companhias de telecomunicação que atuam no País, citando o Plano Nacional de Banda Larga, pelo qual as operadoras de celular poderão ser bastante beneficiadas. Já Morgan Stanley e JP Morgan elevaram suas recomendações para a TIM para overweight (desempenho acima da média do mercado), enquanto o Citi elegeu a empresa como top pick.

Por outro lado, os papéis ordinários da Brasil Ecodiesel (ECOD3) ficaram com o pior desempenho do índice no mês, com recuo de 27,83%. No início de março, o Ministério do Desenvolvimento Agrário suspendeu o Selo Combustível Social de quatro usinas da Ecodiesel, impossibilitando-as de participarem da principal fatia dos leilões de venda de biodiesel da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível). Após essa suspensão ter sido anulada pela Justiça Federal do Rio de Janeiro em abril, o TRJ (Tribunal Regional Federal) da Segunda Região revogou essa liminar em maio, ou seja, a suspensão do Selo voltou a vigorar neste mês.

Além disso, os investidores também avaliaram os resultados trimestrais da companhia, e a decisão do Citigroup de cortar o preço-alvo das ações da Brasil Ecodiesel de R$ 1,40 para R$ 1,33.

Variações das principais métricas de investimento em maio:

Investimento Maio Real* Abril Real**
Ibovespa  -6,64%   -7,74%  -4,04% -4,77% 
CDI*** + 0,75%   -0,43%  +0,63%  -0,14%
CDB ****  +0,79%   -0,40%  +0,69% -0,08% 
Poupança  +0,55%  -0,63%   +0,50% -0,27% 
Ouro  +3,15%   +1,94%   +1,90% +1,12% 
Dólar Ptax +4,34   +3,11%   -2,83% -3,57% 
IGP-M +1,19% - +0,77% -

* Deduzida a variação do IGP-M que ficou em 1,19% em maio de 2010 ** Deduzida a variação do IGP-M que ficou em 0,77% em abril de 2010 *** Taxa Efetiva Andima **** Taxa pré 30 dias

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host