UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/06/2010 - 10h13

Do presente ao passeio, saiba como economizar no Dia dos Namorados

SÃO PAULO – Uma data comemorativa tão amplamente explorada pelo comércio como o Dia dos Namorados pode representar um rombo no orçamento dos mais apaixonados. Afinal, é uma ocasião propícia para impressionar. Porém, segundo especialistas, é possível atingir tal objetivo sem ficar em dificuldades financeiras.


Os autores do livro “Você sabe lidar com seu dinheiro? Da infância à velhice”, Marília Cardoso e Luciano Gissi Fonseca, deixam claro que namorar não é barato. Idas ao cinema e ao teatro, jantares românticos ou viagens a dois envolvem gastos difíceis de encaixar nas finanças pessoais. Para eles, no entanto, os verbos “amar” e “poupar” não são opostos. Pelo contrário: o namoro é o momento ideal para falar sobre sonhos, planos e como pretendem administrar as finanças na vida a dois.


Assunto proibido?

“Há um certo tabu envolvendo dinheiro e amor, que faz com que muita gente acredite não ser adequado tocar no assunto, especialmente na fase do namoro”, afirma Marília. “É justamente o contrário! Evitar esse assunto constitui um risco ao namoro e às finanças pessoais. Pensando adiante, vale lembrar que um namoro sem gastos exagerados pode significar um casamento com tranquilidade financeira”, completa a autora.


Já na percepção de Luciano Gissi Fonseca, o Dia dos Namorados é uma excelente oportunidade para exercitar a inteligência financeira, embora a questão seja um pouco mais complicada para alguns casais. “No amor e nas finanças, muitas vezes os opostos se atraem, ou seja, não raro vemos casais formados por um gastador e outro econômico”, defende ele. “Para chegar a um consenso, é necessário que cada um aprenda a ceder um pouco. É vital que ambos assimilem a importância de uma boa gestão financeira”.


Dicas

Os especialistas destacam cinco dicas para os casais que cultural a inteligência financeira:

  1. Ficar de olho na conta de telefone. Uma alternativa para gastar menos é ter celulares da mesma operadora e negociar pacotes de descontos. Para os que estão longe um do outro, a comunicação on-line pode ajudar a reduzir os gastos;
  2. Adotar transporte compartilhado. Se um mora longe do outro, o deslocamento impacta bastante no bolso. Se ambos têm carro, a dica é fazer revezamento para ninguém gastar demais;
  3. Invista em um presente original. Não há ligação entre amor e presente valioso. Logo, mais vale um presente criativo, confeccionado pela pessoa amada. Se for comprar, opte por alto realmente necessário, presentes úteis, em vez de flores e ursinhos;
  4. Faça programas criativos. Não precisa namorar só em casa, mas passeios contribuem com o aumento de gastos. A situação financeira de ambos é o que dirá se há ou não condições de bancar passeios a lugares distantes e caros. Se fizer uma viagem em um final de semana, no outro, vale alugar um DVD e assistir comendo pipoca;
  5. Pagar a conta não é atributo masculino. Se ambos têm renda, por que não dividir ou revezar? O casal não deve andar com uma calculadora para saber quantos centavos cada um deve pagar, mas não há nada de errado em conversar sobre dinheiro. Comunicação e companheirismo são fundamentais a um bom relacionamento.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host