UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/06/2010 - 08h33

Consumidor gaúcho continua sendo o que mais paga juros no crediário

SÃO PAULO - Quando vai fazer compras e parcelar a despesa no crediário, o consumidor do Rio Grande do Sul ainda é o que desembolsa mais com juros. A informação consta de pesquisa divulgada na quinta-feira (10) pela Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

De acordo com o levantamento, a média dos juros no estado foi de 6,10% ao mês em maio deste ano, enquanto a taxa média nacional foi de 5,83% a.m.

Por Estado

Na outra ponta, a menor cobrança no quarto mês do ano foi registrada em São Paulo (5,23% ao mês). No ano, são 84,36% de juros praticados no estado, contra a média nacional de 97,38%. Veja, na tabela abaixo, a lista das taxas de juros empregadas em seis estados analisados pela Anefac e em Brasília:

Juros do crediário em maio de 2010
Estado Taxa mensal Taxa anual
São Paulo 5,23% 84,36%
Brasília 5,74% 95,38%
Santa Catarina 5,86% 98,05%
Minas Gerais 5,90% 98,95%
Rio de Janeiro 5,96% 100,31%
Paraná 6,02% 101,68%
Rio Grande do Sul 6,10% 103,51%
Brasil 5,83% 97,38%
Fonte: Anefac

Crediário x outros créditos

Na média nacional, os juros do crediário do comércio estão entre os menores, na comparação com as demais modalidades de crédito analisadas pela associação.

Enquanto a cobrança do crediário é de 97,38% ao ano (5,83% ao mês), o juro do cartão de crédito ficou, em maio, em 238,30% ao ano (10,69% ao mês), sendo a maior desde junho de 2000. O juro do cheque especial subiu para 136,32% anuais (7,43% mensais) e o do empréstimo pessoal em financeiras ficou em 211,45% ao ano (9,93% mensais).

No fim da lista estão empréstimo pessoal em bancos (76,53% anuais e 4,85% a.m.) e as taxas do CDC (Crédito Direto ao Consumidor) concedido por bancos (33,70% ao ano e 2,45% mensais).

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host