UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/06/2010 - 18h17

Dividendos ajudam a "turbinar" a aposentadoria

SÃO PAULO – O risco afasta muitos investidores da bolsa de valores, inclusive quando pensam em longo prazo e em garantir uma renda para a aposentadoria, momentos em que as ações são ótima opção. Em busca de segurança, alguns partem para a poupança. Mas o que eles não sabem é que dá para aplicar em ações, ter segurança e, principalmente, mais ganhos do que nas cadernetas.

Basta apostar nos dividendos, que nada mais são do que frações do lucro da empresa distribuídas igualmente entre os acionistas da mesma classe. De acordo com o educador financeiro e fundador do Centro de Estudos e Formação de Patrimônio Calil e Calil, Mauro Calil, o que acontece é que, ao observar os primeiros dividendos ganhos, surgem questionamentos sobre o caminho adotado.

O retorno dos dividendos A Vale, por exemplo, apurou lucro de R$ 10,249 bilhões em 2009, sendo que reteve 48,29% deste montante para reinvestimento e distribuiu os R$ 5,3 bilhões restantes entre os mais de 5,365 bilhões de papéis.

Isso significa que cada investidor com lote de cem ações recebeu R$ 98,77 em dividendos, após ter adquirido os papéis por R$ 2.822 (ações preferenciais), o que significa que os dividendos remuneraram o capital a 3,5% no ano. Se o mesmo montante tivesse sido colocado na poupança (considerando apenas a remuneração de 6,17% ao ano e não a correção monetária pela TR - taxa referencial), renderia R$ 174,11.

No caso acima, investir na poupança parece vantajoso, mas é preciso atenção. Em um horizonte mais longo, o dividendo é mais atrativo.

Calil dá o seguinte exemplo: um investidor direciona R$ 1 mil para a compra de ações que valem R$ 1. O dividendo será de 3,5% e o papel valorizará 15% ao ano. Após 20 anos, ele terá recebido R$ 498,11 ou um retorno de 49,81%, com o valor do ativo a R$ 14,23. Na poupança, ele teria uma rentabilidade de 19,25% e teria recebido R$ 192,45 em rendimentos.

Regras básicas De acordo com o educador financeiro, quem quer contar com dividendos para a aposentadoria deve seguir as seguintes regras: 

  • Ter visão de longo prazo;
  • Escolher empresas que tenham lucros crescentes e recorrentes;
  • Fazer investimentos constantes, mesmo que pequenos (mensais, trimestrais ou anuais);
  • Não investir em uma única empresa;
  • Usar dividendos para comprar mais ações, o que irá “turbinar” e acelerar a rentabilidade para atingir a meta.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host