UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

29/06/2010 - 15h59

Como as novidades sobre Petrobras influenciam nas ações da Lupatech?

SÃO PAULO - Após a Petrobras (PETR3, PETR4) adiar sua capitalização e divulgar o plano de investimentos para os próximos cinco anos, analistas avaliaram as novidades sobre a estatal, se dividindo quanto ao impacto nos papéis da petrolífera. Ainda assim, as ações da companhia foram destaque de queda do Ibovespa na última semana.

Se no caso da petrolífera o impacto do noticiário recente é incerto com relação ao movimento dos papéis, para suas fornecedoras o que deve prevalecer é uma reação positiva, sobretudo no caso da Lupatech (LUPA3). Além de se beneficiar das perspectivas de aumento dos investimentos, a empresa acabou de assinar uma série de novos contratos com a estatal, que indicam um posicionamento interessante para os próximos anos.

Contratos

Na visão de Marcos Saravalle, analista da Coinvalores, deve ser observada uma inflexão na curva de resultados e fluxo de caixa da empresa a partir do quarto trimestre. Até lá, ainda serão faturados os contratos dos últimos anos, e os resultados devem continuar a ser modestos.

"O que muda são as perspectivas futuras para e empresa. Além dos contratos com a Petrobras, novos devem acontecer, e a Lupatech já está preparada, possui a expertise e a qualidade assegurada pela petrolífera", elogia Saravalle, que acredita que o mercado precificou bem os contratos, que devem levar a impactos entre 8% e 9% no valor da empresa.

A projeção de novos contratos para a Lupatech também é citada por Artur Delorme, analista de bens de capital da Ativa, que lembra que a Petrobras tem um peso muito relevante no faturamento da Lupatech. "Os novos pedidos já foram extramente positivos, e há perspectivas de novos contratos", afirma.

Delorme lembra ainda que a empresa já vendeu outras licitações, e assim que os contratos forem devidamente assinados, serão divulgados ao mercado.

Plano de negócios

Com relação ao plano de investimentos divulgado na última semana, Saravalle se mostra otimista sobre os impactos para a Lupatech. "Uma média de 65% dos investimentos terá origem de capital nacional. Dentro de alguns segmentos, é possível afirmar que a Lupatech participa da licitação como principal concorrente, tanto em termos de tamanho como de qualidade", analisa.

Além deste aspecto, o analista da Coinvalores sustenta que é factível dizer que os investimentos da Petrobras são quase sinônimos de receita futura da Lupatech. Juntamente com os novos contratos, Saravalle acredita que os fatos garantem que o futuro da companhia é "bastante promissor".

Oferta de ações

"Quanto maior a capitalização da Petrobras, melhor para Lupatech", resume Delorme. Para o analista, quanto maior for a oferta de ações, mais recursos estarão disponíveis para serem investidos, e a partir do momento que a Petrobras amplia investimentos no setor de bens de capital, isso é positivo para a Lupatech.

Com relação ao adiamento da oferta da estatal, Saravalle entende que os acionistas da Lupatech podem ter as incertezas sobre uma correlação e um possível adiamento da demanda pela Lupatech, mas acredita que o fator preponderante é o longo prazo, e não importa quando ocorra a capitalização, a programação de investimentos vai acontecer.

"Não há riscos de um cenário de stress, com a Petrobras refazendo para baixo suas projeções de crescimento", finaliza.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host