UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/07/2010 - 12h27

Mudanças vão ampliar número de lojas que aceitam cartão de crédito

SÃO PAULO - Com as mudanças no setor de cartões de crédito que entram em vigor nesta quinta-feira (1), a expectativa é de aumento no número de estabelecimentos que aceitam cartão de crédito como meio de pagamento aos seus clientes.

Em entrevista à Infomoney, o diretor geral da Visa para a América Latina, Ruben Osta, afirma que o fim da exclusividade entre bandeiras e credenciadores vai aumentar a competição no setor, além de abrir o mercado para que outras empresas atuem como adquirentes (credenciadoras).

“Quanto mais competição houver, você traz mais adquirentes ao mercado. Quando você abre o mercado para outros adquirentes, obviamente eles vão buscar outros clientes, estabelecimentos que ainda não estão afiliados a nenhum credenciador, outros segmentos ou nichos”, declarou Osta. “Isso é positivo porque vai aumentar a aceitação do Visa no mercado”.

Entenda

A partir desta terça-feira (1) acabou a exclusividade entre credenciadores e bandeiras. Até então, havia a credenciadora Cielo (ex-Visanet) como única a oferecer transações dos cartões Visa, enquanto apenas a Redecard credenciava estabelecimentos que quisessem aceitar os cartões da bandeira Mastercard. Hoje, os credenciadores podem trabalhar com quantas bandeiras quiser.

“O modelo do Brasil era de monoadquirência, onde havia apenas um adquirente cuidando das transações de cada bandeira. Agora, teremos um modelo chamado "multi brand", ou "multi acquiring", em que cada adquirente vai poder adicionar quantas bandeiras quiser e poder então afiliar seus estabelecimentos para receber as várias  bandeiras que tiver contrato. É isso que muda”, explicou Osta.

Preços reduzidos

Na prática, os credenciadores começarão a concorrer mais pelos potenciais clientes (estabelecimentos comerciais) e, nessa briga, a expectativa é que ofereçam menores taxas de transação, entre outros benefícios.

“A gente adoraria que qualquer competição do lado do adquirente (credenciador) que viesse a trazer uma redução de custos ao lojistas fosse repassado ao consumidor”, disse o executivo da Visa. “Seria o ideal, mas vai depender do lojista. É um ponto importante a observar, saber se o lojista vai repassar ou não os benefícios dessa eventual redução”, completou.

Osta disse ainda que a disputa entre os credenciadores não se resume a preços. O comerciante, para ele, não vai olhar apenas isso, pois há outros fatores como produtos oferecidos, serviços e qualidade – coisas que podem pesar para um ou outro player.

“Mas é claro que tudo que gera uma maior eficiência reflete no custo. No nosso ponto de vista, a competição é sempre saudável”, finalizou Osta.

Mastercard

A bandeira Mastercard também anunciou em nota à imprensa sua parceria com a credenciadora Cielo. A partir desta quinta (1), os 1,7 milhão de lojistas afiliados à rede passarão a aceitar transações da bandeira.

Para o presidente da companhia no Brasil, Gilberto Caldart, a entrada de um novo adquirente para a bandeira se traduz em benefícios tangíveis para os dois públicos importantes: lojistas e consumidores. “Com a entrada de um novo adquirente para a Mastercard, todo mundo ganha. A parceria com a Cielo tem o potencial de ampliar nossa rede de aceitação e, com isso, oferecer mais conveniência aos portadores”, declarou Caldart.

O executivo acrescentou que a abertura do mercado para novos adquirentes vai estimular a criatividade e inovação no desenvolvimento de novos produtos e serviços, “contribuindo para acelerar a substituição de cheque e dinheiro por um meio de pagamento muito mais seguro e conveniente”, afirmou.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host