UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/07/2010 - 14h48

Mais da metade dos itens do ICV fica com preço estável até junho, aponta Dieese

SÃO PAULO – Apesar de o ICV (Índice do Custo de Vida) ter ficado em 3,22% entre janeiro e junho deste ano na cidade de São Paulo, a maioria dos produtos e serviços registrou estabilidade de preços no período, revelou o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

De acordo com os dados, neste primeiro semestre, 57,1% dos 594 itens componentes do ICV apresentaram variação entre -1% e 1%, intervalo que remete à estabilidade de preços.

No mesmo período do ano passado, esses itens haviam somado 54,6% do total, enquanto a inflação acumulada de janeiro a junho de 2009 havia sido de 1,72%.

Aumento de preços Mesmo com a maioria dos produtos apresentando estabilidade, aqueles que aumentaram de preços foram capazes de provocar inflação do índice geral no período.

No primeiro semestre deste ano, os principais responsáveis pela taxa elevada de inflação foram os itens do grupo Alimentação, que subiram 4,35%, ante 1,11% registrado no mesmo período do ano passado.

Despesas Pessoais também foi um grupo destaque, com alta de 11,32% entre janeiro e junho deste ano, ante 3,58% no mesmo período do ano passado, além de Educação, que passou de uma alta de 5,06% no primeiro semestre do ano passado para 7,07% até junho de 2010.

Com reajustes inferiores no ano passado ficaram, também, os grupos Saúde (1,13% e 4,40%) e Habitação (2,22% e 3,06%).

“Portanto, como os alimentos há dois meses vêm apresentando baixas em seus preços, provavelmente haverá uma diminuição no ritmo inflacionário de 2010, podendo-se prever uma queda na inflação anualizada de julho de 2009 a junho de 2010, de 5,58% para algo em torno de 5%”, diz o Dieese.
Hospedagem: UOL Host