UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/07/2010 - 13h40

Ritmo de aumento da procura por crédito deve perder força

SÃO PAULO – O ritmo de aumento da demanda por crédito do consumidor deve perder força no segundo semestre do ano, de acordo com a Serasa Experian.

Nos seis primeiros meses deste ano, houve avanço de 17% na demanda por crédito da pessoa física, frente ao mesmo período do ano passado, enquanto na comparação entre segundos semestres (de 2009 e 2010), a alta deve ser de 10%.

“Essa desaceleração deve ser presenciada em todas as camadas de renda. Quando sobe a taxa de juro, sobe para todo mundo. O juro básico da economia entra como custo para formar a taxa de empréstimo em todos os mercados, é uma medida mais democrática”, disse o gerente de Indicadores de Mercado da Serasa Experian, Luiz Rabi, a respeito das elevações da Selic realizadas pelo Banco Central.

Baixa renda lidera Sobre o primeiro semestre, a baixa renda tem sido a principal responsável pelo aumento na procura por crédito, após o período de crise mundial. Em junho, enquanto a demanda por empréstimos cresceu 4,1%, frente ao sexto mês do ano passado, na faixa de pessoas que ganham até R$ 500, verificou-se um incremento de quase 30% no mesmo período.

“A baixa renda esse ano está liderando o processo de aumento da procura por crédito, mas foi também porque, no ano passado, ela foi a camada de renda mais prejudicada pela crise”, explicou Rabi.

De acordo com ele, essas pessoas foram as mais atingidas pela crise, em relação ao crédito, e as que saíram mais tarde desta situação de dificuldade.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host