UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/07/2010 - 13h13

Preços no varejo paulista registram leve queda em junho, aponta Fecomercio-SP

SÃO PAULO - O IPV (Índice de Preços no Varejo) da cidade de São Paulo caiu 0,06% em junho, após uma alta de 0,22% em maio deste ano, segundo dados da Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) divulgados nesta sexta-feira (16). Nos últimos 12 meses, o IPV acumula variação de 1,66%.

O segmento de Supermercados, com maior peso no indicador, foi o que mais contribuiu para o resultado negativo em junho. A queda nos preços foi de 0,71%, enquanto, no mês anterior, houve alta de 0,45%. No ano, a variação acumulada é de 3,31%.

O assessor econômico da Fecomercio, Guilherme Dietze, explica que "a maior parte dos preços dos produtos in natura estão sendo realinhados aos seus patamares regulares, após terem sofrido pressão, por conta das instabilidades climáticas do início do ano". As maiores quedas do mês ficaram por conta dos adoçantes (-12,54%), tubérculos (-9,22%) legumes (-6,71%) leites (-4,28%) e aves (-2,56%).

Feiras

O segmento de Feiras apresentou retração pelo terceiro mês consecutivo: os preços ficaram 2,94% menores em junho. Todos os produtos que o compõe tiveram quedas nos preços, sendo as mais relevantes nas verduras (-6,96%), tubérculos (-4,50%), legumes (-3,93%) aves (-2,16%) e ovos (-1,33%).

"É válido ressaltar que a ocorrência de estiagem em algumas regiões produtoras pode perturbar esta tendência de queda nos preços do segmento, principalmente em tubérculos e alguns cereais", destacou Dietze. Apesar das quedas, o grupo acumula no ano elevação de 1,83%.

Outros setores

O segmento Combustíveis e Lubrificantes manteve mais uma vez a trajetória de queda, fechando junho com recuo de 1,22%. Para o economista da Fecomercio, a redução nos preços é influenciada pela safra da cana-de-açúcar, bem como pelas condições climáticas favoráveis à colheita e moagem.

Outra queda registrada e pela oitava vez seguida foi dos equipamentos eletroeletrônicos (-1,03%). Essa tendência deve se manter por conta das inúmeras liquidações que devem acontecer nesse período pós-Copa do Mundo. "Além disso, com a rápida obsolescência dos equipamentos e a concorrência com o comércio informal, os preços tendem a ser pressionados para baixo", comentou Dietze.

Outros setores que registraram queda foram Drogarias e Perfumarias (-0,16%), Açougues (-0,22%), Livrarias (-0,23%) e CDs (-0,08%), conforme é possível observar na tabela a seguir:





Índice de Preços no Varejo
Grupo Variação em junho
Autopeças e Acessórios   0,37%
Açougues  -0,22%
Brinquedos 0,16%
CDs

-0,08%

Combustíveis e Lubrificantes -1,22%

Drogaria e perfumarias -0,16%
Eletrodomésticos 0,27%
Eletroeletrônicos -1,03%
Feiras -2,94%
Floriculturas 6,98%
Jornais e revistas estável
Livraria -0,23%
Material de construção 1,45%
Material de escritório e outros 0,67%
Móveis e decoração 0,82%
Óticas 1,04%
Padarias 1,11%
Relojoarias 0,66%
Supermercados -0,71%
Veículos 1,03%
Vestuário, tecidos e calçados 0,74%
Fonte: Fecomercio-SP

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host