UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/07/2010 - 20h09

Fundos de ações emergentes captaram mais de US$ 3 bi na última semana, diz EPFR

SÃO PAULO - Após um desempenho desfavorável no começo do mês, os fundos presentes no universo de cobertura da consultoria EPFR Global obtiveram recordes de captação na semana entre os dias 8 e 14 de julho, com destaques tanto para fundos focados na renda fixa quanto na renda variável.

Dentre aqueles que alocam seu capital em ações, o principal destaque ficou com os fundos GEM (Global Emergent Markets), voltados para as principais economias emergentes do globo, que tiveram seu melhor desempenho desde outubro de 2009. Já os fundos de ações dos mercados emergentes registraram uma captação líquida de mais de US$ 3 bilhões durante o período. Ao todo, a diferença entre as aplicações e os resgates dos fundos de ações analisados pela EPFR ficou positiva em US$ 4,38 bilhões na semana.

De acordo com a consultoria, as melhores perspectivas em relação à economia global durante esses sete dias contribuíram para trazer de volta o apetite dos investidores nesses mercados. "Os fundos de ações da Asia (ex-Japão) relataram uma sólida semana enquanto os fundos de ações da América Latina interromperam uma sequência de 13 semanas de resgates líquidos", afirmam os analistas, que destacam os fundos focados em aplicações no Brasil, que tiveram a maior captação em 20 semanas (US$ 97 milhões).

Dentre as economias desenvolvidas, os fundos de ações focados nos EUA atraíram US$ 1,86 bilhão na semana. Já na Europa, as aplicações no Reino Unido, Alemanha e França voltaram a registrar números sólidos, mostra a consultoria - mostrando, segundo a EPFR, que os investidores estão tentando aumentar sua exposição a mercados específicos no continente, saindo de fundos que abrangem a região como um todo. 

Ressalvas

Mesmo com o resultado positivo, a consultoria já prevê impactos negativos no fluxo de capital desses fundos por conta dos indicadores decepcionantes apresentados após o dia 14, destacando tanto não só dados da economia norte-americana como também a desaceleração do PIB (Produto Interno Bruto) chinês durante o segundo trimestre de 2010, divulgado na última quinta-feira (15). "O otimismo dos investidores começou a cair novamente durante a terceira semana de julho", afirma a EPFR.

Os fundos de ações globais também continuam pressionados, tendo postado seu 10º resgate nas últimas 11 semanas. Por fim, os fundos focados no mercado acionário japonês viram seus investidores sacarem US$ 171 milhões no período, refletindo a preocupação deles em relação aos impactos negativos da valorização do iene sobre as exportações do país.

Renda fixa também tem recorde

Mesmo com os bons resultados apresentados pela maioria dos fundos de ações na última semana, os investimentos na renda fixa - que possuem um caráter mais conservador - conseguiram atrair bons volumes de capital. Ao todo, os fundos de bonds cobertos pela EPFR Global captaram US$ 6,45 bilhões, seu melhor resultado desde a última semana de abril deste ano.

Quem também teve novos recordes foram os fundos de bonds norte-americanos, cujo saldo positivo de US$ 2,97 bilhões foi o maior desde a semana de 24 de fevereiro deste ano. Já os fundos globais de bonds chegaram à 7ª semana seguida de captação, revela a EPFR.

No mercado emergente, os fundos de bonds tiveram um aporte de US$ 745 milhões, elevando o volume captado ao longo de 2010 para US$ 18,5 bilhões. Segundo a consultoria, os fundos focados em títulos de dívida de moeda local têm sido o principal destino desses investimentos, tendo atraído US$ 9,9 bilhões neste ano.

Fundos setoriais

Dentre os investimentos voltados para um setor específico, o destaque da semana ficou com os fundos de commodities, responsáveis por atrair o maior volume financeiro dentre as categorias listadas pela EPFR, seguidos logo atrás pelos fundos "Energy Sector Funds" (fundos do setor de petróleo e gás). Os fundos do setor de Utilities (serviços de utilidade pública, como energia elétrica e saneamento) também tiveram um saldo positivo. 

Contudo, os outros setores listados - imobiliário, financeiro, tecnológico, telecomunicações, saúde/biotecnologia e bens de consumo - registraram resgates entre US$ 40 milhões e US$ 96 milhões na última semana, tendo a última categoria mencionada como líder em retiradas de investimento, revela o relatório da consultoria.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host