UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/08/2010 - 11h58

Com queda de preços, brasileiro trabalhou menos para comprar cesta básica

SÃO PAULO – Com a queda de preços verificada em 16 das 17 capitais, em julho, o tempo de trabalho necessário para comprar o conjunto de alimentos caiu. Enquanto em junho foram necessárias 94 horas e 56 minutos para adquirir produtos essenciais, no sétimo mês do ano, a jornada exigida foi de 91 horas e 50 minutos.

Os números são da Pesquisa Nacional da Cesta Básica, divulgados nesta quarta-feira (4) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

Em julho do ano passado, a mesma cesta exigia, em média, 97 horas e 12 minutos de trabalho.

Cesta exige mais tempo de trabalho em São Paulo

Em julho, São Paulo foi a capital onde as pessoas mais precisaram trabalhar para comprar a cesta básica, 103 horas e 16 minutos. Contudo, esse tempo é menor que o registrado um mês antes, que foi de 107 horas e 26 minutos.

Em seguida, aparece a cidade de Porto Alegre (102 horas e 31 minutos) e, em terceiro, Manaus (100 horas e 31 minutos).

As capitais onde as pessoas tiveram de trabalhar menos, na comparação com as demais cidades, em julho, foram Aracaju (78 horas e 06 minutos), Fortaleza (78 horas e 24 minutos) e João Pessoa (82 horas e 28 minutos).

Ranking

Confira, na tabela abaixo, o tempo de trabalho necessário para a aquisição da cesta básica em julho, por capital:



Posição Cidade Horas trabalhadas
São Paulo 103h16min
Porto Alegre 102h31min
Manaus 100h31min
Vitória 95h53min
Florianópolis 95h31min
Brasília 95h24min
Belo Horizonte 94h02min
Curitiba 93h13min
Belém 92h53min
10° Goiânia 92h45min
11° Rio de Janeiro 91h56min
12° Natal 90h07min
13° Salvador 87h29min
14° Recife 86h38min
15° João Pessoa 82h28min
16° Fortaleza 78h24min
17° Aracaju 78h06min


 Fonte: Dieese

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host