UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/08/2010 - 10h56

Número de e-consumidores chega a 20 millhões e gasto médio fica 17% maior

SÃO PAULO – No primeiro semestre deste ano cerca de 20 milhões de consumidores compraram pela internet – um aumento de 13,64% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando 17,6 milhões de consumidores fizeram o mesmo. Além disso, o número é 30% maior que o verificado no último semestre do ano passado.
De acordo com dados da e-bit, os e-consumidores gastaram em média R$ 379 em compras no comércio eletrônico. De janeiro a junho do ano passado, o tíquete médio era de R$ 323 – uma elevação de 17%. Para o presidente do e-bit, Pedro Guasti, a Copa e os estímulos fiscais do Governo, além dos próprios estímulos do comércio eletrônico, contribuíram para a elevação do tíquete médio.
Segundo a consultoria de comércio eletrônico, o aumento do valor gasto pelos consumidores deve-se ao tipo de produto que eles passaram a comprar pela web, de maior valor agregado.
Os mais vendidos

Dentre as categorias mais vendidas no primeiro semestre deste ano estão os eletrodomésticos, que desbancaram os livros e assinatura de revistas e jornais e ficaram em primeiro lugar da lista dos mais comprados.
Para a consultoria, a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) foi um dos principais fatores que levou o item à primeira colocação.
Os eletroeletrônicos também ficaram no ranking dos produtos mais pedidos na web, com 14% do total de 17,8 milhões de pedidos no período. Ainda na lista dos produtos mais pedidos aparecem Livros, com 15% do total do volume solicitado, produtos de Saúde, beleza e medicamentos, Informática e Eletrônicos.
Faturamento

O comércio eletrônico registrou no primeiro semestre deste ano um crescimento de 40% em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento ficou em R$ 6,7 bilhões, contra R$ 4,8 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.
Para a e-bit, 2010 deve superar todas as expectativas de crescimento. Entre os motivos de tanto otimismo estão a retomada do crédito pós-crise e a maior confiança por parte dos consumidores em realizar compras via internet.
Outros motivos contribuem para o crescimento, como as fusões de grandes grupos de varejo, elevando a opção dos consumidores na internet.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host