UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/08/2010 - 13h16

Gradual sugere investimento em 12 ações para os últimos pregões de agosto

SÃO PAULO - A Gradual Corretora listou 12 ações em seu portfólio recomendado para o período de 25 de agosto a 1 de setembro, promovendo seis alterações em relação à carteira da semana anterior, com a entrada de Copasa (CSMG3) e saída de Suzano (SUZB5), além da elevação do peso de Pão de Açúcar (PCAR5) e Banco do Brasil (BBAS3) de 5% para 10% e diminuição da participação de Vale (VALE5) e Fibria (FIBR3), de 20% para 15% e 10% para 5%, nesta ordem. 

Nos últimos pregões de agosto, os analistas acreditam que o noticiário macroeconômico deverá ser foco da atenção do mercado, dado o fim da temporada de balanços corporativos do segundo trimestre. Apesar das boas perspectivas no front doméstico, os indicadores dos Estados Unidos deverão influenciar o aumento dos temores por parte de investidores. 

"Permanecemos confiantes de que a bolsa brasileira deverá oferecer retorno superior à renda fixa no segundo semestre de 2010, porém reforçamos a possibilidade de persistência de elevada volatilidade dos pregões ainda por um bom tempo". Além dos fatores externos, "o imbróglio da capitalização da Petrobras" também deverá influenciar negativamente as próximas sessões.

Alterações na carteira

A corretora ressalta que a carteira recomendada para o período possui um caráter mais defensivo, característica adquirida por meio da redução da participação de Vale (de 15% para 10%) e Fibria (de 10% para 5%) e ainda a exclusão de Suzano. Os analistas revelam ter boas perspectivas para os três papéis no longo prazo, contudo, "não são indicados para momentos de turbulência". 

De acordo com a corretora, o mercado doméstico foi reforçado na carteira semanal, após o cenário externo mais desfavorável. Copasa entra com peso de 5%, "amparada por múltiplos baixos e cotação atrativa que reforçam seu caráter de papel defensivo", afirmou a Gradual.

Já o Pão de Açúcar tem seu peso elevado por ser a principal aposta da corretora no mercado varejista e Banco do Brasil ganha mais espaço face às perspectivas de elevação da taxa básica de juros, que reforçaria "os excelentes números de desempenho do 2T10". 

Desempenho da carteira

Nos sete dias anteriores, o portfólio de recomendações da Gradual teve um desempenho negativo de 1,39%, resultado inferior ao Ibovespa, que no mesmo período caiu 3,59%. Já no ano, a carteira da corretora acumula queda de 0,94%, ante recuo de 5,00% do benchmark.

Confira o portfólio da Gradual

Empresa Código Preço-alvo* Upside** Peso ajustado
Vale VALE5 R$ 60,50 46% 15%
Fibria FIBR3 R$ 39,00 43% 5%
EzTec EZTC3 R$ 14,00 30% 10%
MRV MRVE3 R$ 20,00 31% 10%
Banco do Brasil BBAS3 Em Revisão - 10%
Copasa CSMG3 R$ 31,00 31% 5%
Brookfield BISA3 R$ 10,50 12% 10%
Tractebel Energia TBLE3 R$ 27,50 15% 5%
Lojas Renner LREN3 R$ 64,00 13% 5%
GOAU4 R$ 42,50 51% 5%
Marcopolo POMO4 R$ 14,20 38% 10%
Pão de Açúcar PCAR5 R$ 74,00 23% 10%

* Preço-alvo para 12 meses;
**Potencial teórico de valorização, com base no fechamento do pregão de 24 de agosto. 

Hospedagem: UOL Host