UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/08/2010 - 11h50

Intenção de compra de bens duráveis atinge maior patamar desde maio de 2008

SÃO PAULO - O indicador que mede a intenção do consumidor de comprar bens duráveis avançou 3,9% em agosto, frente a julho, conforme revelou a Sondagem de Expectativas do Consumidor da FGV (Fundação Getulio Vargas).

No período, a intenção do consumidor passou de 86,1 pontos para 89,5 pontos, atingindo o maior patamar desde maio de 2008, quando chegou a 92,1 pontos.

Na comparação com agosto do ano passado, a elevação foi de 7%, já que a intenção havia ficado em 84,1 pontos.

Perspectiva futura

Os dados da pesquisa mostraram ainda que o número de consumidores que acreditam que a intenção de comprar um bem durável irá aumentar é maior que a registrada no sétimo mês do ano. O percentual dos que têm essa percepção passou de 14% para 16,6% entre julho e agosto.

Já a parcela dos pessimistas diminuiu, uma vez que o número dos que acreditam que a intenção irá cair foi de 27,9% para 27,1% no mesmo período.

Na comparação com agosto do ano passado, é possível notar que o número de otimistas hoje é também é maior, diferentemente da parcela dos pessimistas. Naquela data, 12,9% se declararam mais dispostos a comprar bens duráveis, enquanto 28,8% disseram o contrário.

Juros e inflação

A pesquisa ainda analisa a opinião dos consumidores com relação às taxas de juros e inflação. No primeiro caso, os dados mostram que 41,2% dos brasileiros acreditam que os juros irão subir, ante 9,9% que responderam o contrário.

A respeito da inflação, a Sondagem mostrou uma expectativa de alta de 6,2% nos preços para os próximos 12 meses – no mês passado, a percepção era de inflação de 6,1%.

Hospedagem: UOL Host