UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/09/2010 - 17h26

Desde 2008, preço do álcool aumentou muito mais que gasolina

SÃO PAULO – Mesmo aumentando menos que a inflação, o preço do álcool sofreu alta bem maior que o da gasolina nos últimos meses. Enquanto o álcool subiu 10,68% entre janeiro de 2008 e agosto de 2010, a variação no preço da gasolina foi de apenas 0,28% no período.

Os números são do ICV (Índice de Custo de Vida) da cidade de São Paulo, calculado pelo  Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). No geral, o índice acumula alta de 14,40% no período de 32 meses.

O estudo das variações mensais mostrou que o preço do álcool teve taxas oscilantes, com altas acentuadas e baixas marcantes. O mesmo comportamento não ocorreu no índice geral nem na gasolina, que apresentaram variações mais estáveis.

Oscilações

No início deste ano, por exemplo, o álcool apresentou altas marcantes em janeiro (14,62%) e fevereiro (2,30%). Nos cinco meses seguintes, suas variações foram bastante negativas, resultando em queda de 28,95%. Somente no mês de agosto houve recuperação no preço, com alta de 7,74%.

Para comparação, o comportamento da gasolina entre janeiro e fevereiro foi de alta de 1,97% e 0,86%, respectivamente. Entre março e julho, houve quedas suaves, com taxas entre 1,62% e 0,04%. Apenas o mês de agosto interrompeu a série de baixa, com variação positiva de 0,41%.

O açúcar, por sua vez, apresentou alta acumulada de 72,96% desde janeiro de 2008. Embora não tenha sofrido a influência dos aumentos das commodities naquele ano, o preço do açúcar também mostrou grandes oscilações.

Atacado e varejo

O estudo do Dieese mostrou ainda que tanto o açúcar quanto o álcool revelaram comportamentos distintos em relação ao preço de atacado e de varejo.

Enquanto o álcool subiu 13,38% no atacado, o preço no varejo teve variação de 10,68%. “A análise dessas séries aponta uma forte relação entre a variação de valor no atacado e sua resposta no varejo, com defasagem da ordem de um ou dois meses", aponta o Dieese.

No caso do açúcar, a variação do atacado foi de 92,37%, enquanto a do varejo ficou em 72,96% nos 32 meses analisados.

Hospedagem: UOL Host