UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/09/2010 - 20h40

Fundos de ações da América Latina têm maior captação semanal desde março

SÃO PAULO – Revertendo o resgate líquido de US$ 6,87 bilhões visto no período anterior, os fundos de ações terminaram a semana encerrada no dia 8 de setembro com um volume de captação superior aos resgates em US$ 8,43 bilhões, o melhor resultado em seis semanas, revela relatório da consultoria EPFR Global.

O forte volume captado pela indústria global reflete bem o desempenho de cada região. Segundo a EPFR, os fundos de ações focados em países da América Latina viram a diferença entre as aplicações e as retiradas ficar positiva em US$ 190 milhões na semana, sendo este o maior saldo de capital alcançado por eles desde março. Vale mencionar que foi a 8ª captação positiva desses fundos nas últimas nove semanas.

Ainda dentre os latino-americanos, destaque para os fundos de ações que investem no mercado acionário do Brasil, que chegaram à sua 10ª semana consecutiva de novas aplicações. Já os fundos de ações mexicanos registraram a maior entrada líquida de investimentos das últimas nove semanas, revela a EPFR.

Em linha com os países da América Latina, os fundos de ações GEM (Global Emergent Markets) conseguiram aumentar para 15 semanas sua sequência de captações positivas. Dessa forma, a entrada de investimentos nos fundos de ações emergentes presentes no universo de cobertura da EPFR superou a saída em US$ 1,87 bilhão na semana encerrada na última quarta-feira.

EUA, Europa e Japão também foram bem na semana

Assim como os emergentes, os fundos de ações das economias desenvolvidas também tiveram bons resultados de captação entre os dias 2 e 8 de setembro. É o caso dos fundos dos EUA, que atraíram US$ 6 bilhões a mais do que foi sacado no período, encerrando uma sequência de quatro semanas de resgates líquidos. Contudo, o saldo captado no acumulado em 2010 permanece negativo em US$ 30,3 bilhões, mostra a EPFR.

Já os fundos que aplicam no mercado acionário europeu tiveram sua segunda semana consecutiva de captação líquida, acumulando assim um fluxo superavitário de mais de US$ 1 bilhão no período, “apesar das preocupações de que os recentes testes de estresse realizados no setor financeiro da região não tenham revelado a verdadeira extensão de seus problemas”, comenta a consultoria em relatório.

Os fundos japoneses, por sua vez, seguiram a direção contrária e mostraram que um volume de saques superior às aplicações em US$ 101 milhões, chegando à sua 11ª semana seguida de resgate líquido. No entanto, esse montante foi o menor em comparação aos onze períodos anteriores de fuga de capital, revela a EPFR. No acumulado do ano, o resultado é deficitário em US$ 711,9 milhões.

Fundos "conservadores" também se destacam

Embora os investidores tenham alocado maior volume de capital nos fundos focados no mercado de ações, as aplicações consideradas menos arriscadas também revelaram boas captações, refletindo a renovação das incertezas acerca do setor financeiro europeu. "O grupo de fundos com objetivos mais defensivos também postaram sólidos fluxos positivos", diz a EPFR.

Dentre os fundos de bonds, que focam a compra de títulos de dívida, destaque para os norte-americanos, responsáveis por atrair US$ 2 bilhões a mais do que o volume sacado. Ao todo, a indústria de fundos de bonds viu a diferença entre as captações e os resgates da última semana ficar positiva em  US$ 4,13 bilhões, diz a consultoria.

Por fim, dentre os setoriais, os fundos ligados ao setor de bens de consumo, também com características mais conservadoras, foram responsáveis pelos melhores saldos de captação da semana, enquanto os fundos "utilities" (empresas do setor de energia elétrica e saneamento) registraram sua 8ª captação positiva em 9 semanas.

Hospedagem: UOL Host