! PIB da UE deverá encolher 4% neste ano, estima órgão - 04/05/2009 - Lusa - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

04/05/2009 - 08h14

PIB da UE deverá encolher 4% neste ano, estima órgão

Bruxelas, 4 mai (Lusa) - As economias da zona euro e da União Europeia vão registrar este ano uma contração de 4%, segundo as previsões de Primavera da Comissão Europeia (braço executivo do bloco europeu) nesta segunda-feira. Além disso, retomada do crescimento econômico deverá acontecer somente em 2011.

Em 2010, as economias de ambas as regiões deverão ainda apresentar um crescimento negativo de 0,1%.

Em janeiro, Bruxelas apontava para um recuo de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro, seguida de um regresso ao crescimento em 2010, cifrado em 0,4%.

Para a União Europeia no seu conjunto, esperavam um contração de 1,8% este ano seguida de um crescimento de 0,5% no próximo.

O agravamento da crise financeira global, a "forte contração" do comércio mundial, e as correções em curso no mercado imobiliário em vários países são os fatores enumerados pelo órgão para explicar a revisão em baixa de suas estimativas.

A Alemanha, maior economia europeia, deverá encolher 5,4% neste ano, sendo que a taxa de desemprego deverá subir para 8,3% e para 10,4 % no próximo ano. Porém, a Comissão prevê um ligeiro regresso ao crescimento (0,3%) no próximo ano.

Já a França deverá registrar uma quebra do PIB de 3% este ano, mantendo-se em recessão em 2010 com um recuo de ainda 0,2%. A taxa de desemprego deverá atingir os 9,6% neste ano, agravando-se para 10,7% no próximo.

Na Itália, a contração poderá ser de 4,4% com regresso ao crescimento em 2010 (0,1%). A taxa de desemprego deverá situar-se nos 8,8% este ano e subirá para 9,4% no próximo.

Na Espanha, o tombo deverá ser 3,2%, com a recessão melhorando para -1% do PIB em 2010. A taxa de desemprego atingirá os 17,3% este ano, e 20,5% no próximo, sendo as mais altas da União Europeia.

Para o Reino Unido, principal economia fora da zona euro, os economistas de Bruxelas preveem uma recessão de 3,8% este ano, com uma retomada de 0,1% no próximo. O desemprego vai subir para 8,2% este ano e 9,4% no próximo.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host