! Firma lusa de tecnologia entrará em Angola até fim de 2009 - 31/05/2009 - Lusa - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

31/05/2009 - 11h17

Firma lusa de tecnologia entrará em Angola até fim de 2009

Lisboa, 31 mai (Lusa) - A empresa portuguesa de tecnologia Novabase vai criar uma filial em Angola até ao final deste ano, que será detida em parceria com uma companhia angolana, com o objetivo de atuar no setor bancário, de telecomunicações, energético e de transportes do país africano.

"A Novabase Angola vai estar a funcionar no final do ano. Queremos ser líderes do mercado angolano dentro de alguns anos, porque acreditamos que tem potencial para essa aposta", adiantou em entrevista à Agência Lusa o presidente-executivo da Novabase, Luís Paulo Salvado.

De acordo com ele, a nova empresa será detida em 50% pela Novabase e os restantes 50% pela empresa local MicroCenter, do grupo António Mosquito, com quem a companhia lusa já trabalhava em alguns projetos.

"A nova empresa vai replicar as competências que temos em Portugal, mas numa perspectiva gradual e nos setores com mais necessidade, especialmente a banca, que precisa muito de se modernizar e acompanhar o crescimento da economia angolana, mas também as telecomunicações, a energia e os transportes", frisou Salvado.

Segundo ele, a empresa já tem em Angola "projetos ganhos" e está a "trabalhar com alguns bancos de Angola", possuindo já cerca de cinco projetos com alguma dimensão.

"A nossa aposta em Angola é de longa data, mas estávamos numa situação reativa, eram os parceiros ou os clientes que nos pediam para fazer determinados projetos", contou.

Aposta

Salvado afirma que Angola é hoje uma aposta da Novabase, em função da rápida evolução das tecnologias de informação naquele mercado, desde as infra-estruturas às aplicações, área em que a Novabase "é claramente muito forte em Portugal".

"Acho que podemos aproveitar esses movimentos. Nas telecomunicações, por exemplo, são necessárias soluções cada vez mais sofisticadas, onde também somos muito fortes em Portugal. Depois há investimentos selectivos ao nível dos transportes - Angola também está a passar por uma revolução nos transportes colectivos - e das empresas de energia", disse.

Para Salvado, Angola representa uma "excelente oportunidade", até porque há vários setores a precisar de tecnologias muito avançadas e ainda não há muita concorrência.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host