! Lucro dos cassinos de Macau diminui 10,2% em maio - 01/06/2009 - Lusa - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

01/06/2009 - 08h46

Lucro dos cassinos de Macau diminui 10,2% em maio

Macau, China, 1º jun (Lusa) - O setor do jogo em Macau terminou maio com receitas equivalentes a 880 milhões de euros, o que representa uma redução de 10,2% em relação ao mesmo mês do ano passado, indicam dados dos operadores.

As informações, compiladas pela Agência Lusa junto as seis empresas do ramo, indicam que maio gerou receitas brutas - sobre as quais recaem impostos diretos e indiretos de 40% -, de aproximadamente 8,8 bilhões de patacas (R$ 2,4 bilhões no câmbio atual). No ano mesmo período do ano passado, foram gerados 9,8 bilhões de patacas (R$ 2,7 bilhões).

Em termos acumulados, os primeiros cinco meses deste ano geraram receitas brutas de quase 43,2 bilhões de patacas (R$ 12,47 bilhões), menos 11,4% do que nos primeiros cinco meses de 2008, acentuando-se a tendência de estabilização das receitas e a diminuição gradual da diferença entre os valores de 2008 e 2009.

Na análise por operador, maio veio reforçar a posição da Sociedade de Jogos de Macau, controlada por Stanley Ho, que conquistou mais de 30% do mercado e foi o único operador a registear mais de 2 bilhões milhões de patacas (R$ 580 milhões) de receitas brutas.

Ainda na casa do bilhão, situou-se a Las Vegas Sands, com cerca de 21% das receitas brutas, a Wynn Resorts com 18% de cota, e a Galaxy, que reafirmou o seu quarto lugar no ranking dos operadores ao conseguir pouco mais de 12% do mercado.

A Melco/PBL, que curiosamente inaugura hoje o seu complexo City Of Dreams com vários hotéis, cassino e centros de diversão, e a MGM fecharam maio o leque dos operadores com menos de 1 bilhão de patacas de receitas.

Já a MGM, gerida por Pansy Ho, conquistou uma fatia de 8% das receitas geradas pelos cassinos no território.

O setor do jogo é o motor da economia de Macau, gerando a grande maioria dos impostos da cidade, e registrou até ao final de 2008 crescimentos muito fortes.

A crise financeira internacional, maior combate das autoridades chinesas à corrupção no país e a limitação dos vistos individuais de visita a Macau fizeram desacelerar o crescimento do setor, mas analistas do mercado estimam que ao longo de 2009 as receitas atinjam os 100 bilhões de patacas (R$ 28 bilhões), o que significa uma queda de 8% em relação ao ano passado.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host