! Crise não afeta relação Rússia-China, diz premiê russo - 17/06/2009 - Lusa - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

17/06/2009 - 08h26

Crise não afeta relação Rússia-China, diz premiê russo

Moscou, 17 jun (Lusa) - A crise financeira não terá repercussões negativas na cooperação russo-chinesa, declarou o premiê russo, Vladimir Putin, durante um encontro com presidente chinês, Hu Jintao, na sua residência de Novo-Ogariovo, nos arredores da capital russa.

"Gostaria de notar que, não obstante a crise financeira, as relações entre os nossos países não estão sujeitas à conjuntura política e econômica atual", afirmou Putin.

Segundo ele, o comércio bilateral registrou um progresso forte apesar da crise: atingiu os US$ 56 bilhões no ano passado.

"O mais importante é que os dois países aumentam a sua cooperação em matéria de investimentos" frisou.

Hu Jintao chegou a Moscou vindo de Ecaterimburgo, cidade que acolheu as cimeiras da Organização de Cooperação de Xangai e dos Bric (Brasil, Rússia, Índia e China).

"Segui atentamente a sua intervenção na cúpula da OCX. Gostaria de chamar a atenção para as propostas muitos construtivas formuladas pelo senhor quanto ao desenvolvimento da cooperação, da infraestrutura e ao nosso trabalho conjunto no sector financeiro", acrescentou Putin.

Hu Jintao, depois de destacar as relações de amizade com Vladimir Putin, convidou o chefe do Governo russo a visitar Pequim no próximo outono.

O presidente chinês tem mais um encontro marcado para hoje com o seu homólogo russo, Dmitri Medvedev.

Na véspera, empresas russas e chinesas assinaram, em Moscou, cerca de 40 contratos com valor total de US$ 3 bilhões.

Os documentos foram assinados no quadro do Forum Econômico e Comercial russo-chinês, organizado pelos Ministérios da Economia e do Comércio dos dois países.

Entre os setores mais promissores da cooperação encontram-se os do petróleo e gás, energia nuclear e pesquisa espacial.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host