! Crise é uma 'prova de fogo' para UE, afirma ministro alemão - 18/06/2009 - Lusa - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

18/06/2009 - 08h42

Crise é uma 'prova de fogo' para UE, afirma ministro alemão

Berlim, 18 jun (Lusa) - O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, afirmou que a crise econômica é "uma prova de fogo" para a União Europeia, numa declaração do governo no parlamento sobre a cúpula europeia que começa nesta quinta-feira em Bruxelas.

"A crise atingiu há muito tempo a Europa com grande ímpeto, e a Europa tem de provar que tem uma perspectiva de futuro através da reação à crise", disse Steinmeier.

O chefe da diplomacia germânica advertiu também contra "formas de pensar nacionalistas", fazendo um apelo para que a União Europeia (UE) "não ponha em causa a sua coesão por causa do egoísmo".

Na opinião dele, é necessário agora "trabalhar para que a União Europeia encontre respostas à crise mais convincentes do que as respostas que encontraria no âmbito nacional".

Neste contexto, ele exigiu o reforço das medidas de supervisão dos mercados financeiros na União Europeia, propondo a criação de um Conselho de Controlo de Riscos Sistêmicos sob a égide do Banco Central Europeu (BCE).

"A União Europeia tem de tornar claro que os mercados precisam de se submeter a regras", observou Steinmeier.

Tratado de Lisboa

Mais adiante, o ele se mostrou convicto de que o Tratado de Lisboa para a reforma das instituições comunitárias entrará em vigor ainda este ano, depois de ratificado pelos 27 Estados membros.

Quanto à Alemanha, que ainda não ratificou o documento, tal como a Irlanda, a República Tcheca e a Polônia, fez votos para que o Tribunal Constitucional tome uma decisão favorável, em audiência marcada para 30 de junho.

Os juízes do Supremo terão de decidir se o Tratado de Lisboa, que amplia o âmbito das competências da UE perante os Estados nacionais, está em conformidade com a Constituição Alemã, depois de requerimentos apresentados por um deputado conservador e pelo grupo parlamentar do Die Linke (A Esquerda).

A ratificação do Tratado de Lisboa é um dos temas centrais do Conselho Europeu a decorrer hoje e na sexta-feira em Bruxelas.

Sobre a mesa está, nomeadamente, a aprovação de concessões à Irlanda para realização de um segundo referendo ao Tratado, depois do "não" num primeiro escrutínio.

Além disso, os chefes de Estado e de governo dos 27 deverão pronunciar-se sobre a candidatura do presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, a um segundo mandato.

Outros temas na agenda são o combate às alterações climáticas e a posição comum dos 27 para a reunião da ONU no final deste ano, e a crise econômica.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host