! Moçambique começa a produzir computadores de baixo custo - 20/06/2009 - Lusa - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

20/06/2009 - 10h32

Moçambique começa a produzir computadores de baixo custo

Maputo, 20 jun (Lusa) ? Moçambique vai montar a partir deste mês aproximadamente 50 computadores por dia, que serão chamados "Dzowo", em homenagem a Eduardo Mondlane, primeiro presidente da Frelimo, que lutou contra o colonialismo português até à sua morte, em 1969.

O lançamento hoje do computador de fabricação moçambicano da marca "Dzowo", como se designa a família Mondlane numa das línguas do sul do país, é um dos pontos altos da passagem dos 40 anos da morte do fundador da Frelimo.

O governo de Maputo designou 2009 como sendo "Ano Eduardo Mondlane".

A cerimônia central da homenagem decorre na localidade de Nwadjahane, em Gaza, terra natal de Eduardo Mondlane, e é dirigida pelo presidente moçambicano, Armando Guebuza.

Os computadores serão montados pela multinacional Sahara que, em parceria com as autoridades moçambicanas, montou o primeiro Centro de Desenvolvimento Tecnológico do país com capacidade inicial para produção de 11.520 computadores portáteis e de mesa por ano.

A Sahara está sediada na cidade sul-africana de Joanesburgo e possui escritórios, centros de pesquisa e desenvolvimento na Grã-Bretanha, China, Emiratos Árabes Unidos, Índia, Botsuana, Namíbia e Quênia.

A partir do próximo ano, a transnacional estima fabricar anualmente 19.200 computadores em Moçambique, uma produção em larga escala visando facilitar o acesso dos moçambicanos aos aparelhos.

As máquinas da marca "Dzowo" serão vendidas ao preço médio de 10 mil meticais (cerca de R$ 1 mil no câmbio atual).

No âmbito das festividades de enaltecimento da vida e obra do fundador da Frelimo, o chefe de Estado moçambicano inaugurou hoje em Mandlakazi um Monumento erguido em reconhecimento a Eduardo Mondlane, que esta semana teve direito um Simpósio Internacional.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host