! Líder moçambicano visita Brasil para 'vender' seu país - 18/07/2009 - Lusa - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

18/07/2009 - 17h09

Líder moçambicano visita Brasil para 'vender' seu país

Maputo, 18 jul (Lusa) - A visita do Presidente moçambicano, Armando Guebuza, a partir deste domingo ao Brasil, destina-se a "vender" Moçambique a um país com "crescente importância internacional", mas também "problemas graves de acesso aos mercados", disse à Agência Lusa o embaixador brasileiro em Maputo.

António Souza e Silva reconhece que as trocas comerciais entre os dois países são praticamente inexistentes e que o investimento brasileiro em Moçambique tem também sido pouco expressivo, salientando no entanto que a situação está mudando.

Maputo e Brasília estão intensificando as relações bilaterais ao mais alto nível, e, segundo adiantou à Lusa o embaixador brasileiro, Lula prevê visitar Moçambique em julho do próximo ano.

Desde 2007 tem acontecido visitas presidenciais entre os dois países, com o Presidente moçambicano no Brasil em 2007, centrando a sua visita no Rio de Janeiro (há dois anos, tinha sido São Paulo), seguindo-se uma visita de Lula no ano passado a Moçambique, e este ano de novo com Armando Guebuza no Brasil, entre os próximos dias 19 e 23.

"É um diálogo importante. A construção de uma fábrica de anti-retrovirais em Moçambique teve um impulso especial com a visita do Presidente Lula, como a decisão de criar um centro de formação. E foi também durante essa visita que se estabeleceu um grupo de trabalho para impulsionar o comércio e os investimentos", disse o embaixador.

"Tínhamos uma cooperação caracterizada pela capacitação e formação de quadros mas nem sempre essa capacitação estava a dar os resultados esperados, pelas próprias deficiências da estrutura", disse o diplomata, acrescentando: "Privilegiamos agora ações que possam ser estruturantes, capacitamos e formamos e, ao mesmo tempo, reforçamos as estruturas institucionais onde os técnicos vão atuar."

Esta nova forma de cooperação, disse o embaixador, começou no último ano e é exemplificada na fábrica de anti-retrovirais que o Brasil está construindo em Moçambique e que no próximo ano vai começar a embalar os medicamentos vindos do Brasil e que, num momento posterior, produzirá os remédios.

"Estamos a dar capacitação para que Moçambique possa dominar todo o ciclo", frisou, acrescentando que o país poderá depois vender medicamentos para outros países da região.

Durante a visita de Armando Guebuza ao Brasil, disse também Souza e Silva, vai ser assinado um acordo para a construção, pelo Brasil, de um Centro de Formação em Maputo, e outro também na área da formação mas no domínio das florestas, com um valor de "dois a três milhões de dólares".

"Também será assinado um acordo na área das prisões e vamos oferecer um projeto na área da defesa, que é a estruturação do centro de formação de forças para missões de paz", citou.

Recentemente, com o apoio brasileiro, foi inaugurada em Maputo uma fábrica de bolas, e segundo o embaixador está a ser criado também em Moçambique um programa chamado "segundo tempo", destinado a manter as crianças mais tempo nas escolas através do desporto.

"Doamos dois mil uniformes, tênis, jogos, bolas? e estão a ser selecionados 10 monitores que vão ter formação no Brasil durante um mês e vamos depois implementar o programa começando por duas ou três escolas", explicou o embaixador.

No próximo ano entra também em funcionamento um Centro de Formação que o Brasil está a construir em Maputo (cujos monitores também recebem formação no Brasil), para as áreas da Manutenção Mecânica e Soldadura, Eletricidade e Automação, Informática e Telecomunicações e Processamento de Frutas e Cereais.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host