! Acordo com Portugal reforça estabilidade em S. Tomé - 27/07/2009 - Lusa - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

27/07/2009 - 08h49

Acordo com Portugal reforça estabilidade em S. Tomé

Lisboa, 27 lul (Lusa) - O ministro luso das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, assinará nesta semana com o governo de São Tomé e Príncipe um acordo de cooperação econômica. Além disso, será firmada uma linha de crédito para reforçar a estabilidade macroeconômica do país africano.

"Nesta visita está a prevista a assinatura de um acordo de cooperação econômica e de uma facilidade de crédito entre a República Portuguesa e a República Democrática de São Tomé e Príncipe, com o objetivo de reforçar a estabilidade macroeconômica e financeira de São Tomé e Príncipe", afirmou à Agência Lusa uma fonte oficial do ministério das Finanças.

A mesma fonte adiantou que a visita de Teixeira dos Santos se enquadra no objetivo de Lisboa "de reforçar a cooperação econômica com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), no caso, através da criação de condições para o fomento das transações comerciais e do investimento e, portanto, do desenvolvimento econômico e social de São Tomé e Príncipe".

O acordo pretende estabelecer a paridade cambial entre a dobra são-tomense e o euro, afirmou o diretor do Centro de Investigação e Análise da Política de Desenvolvimento, Adelino Castelo David, que dirige a equipe técnica são-tomense que está trabalhando em cooperação com técnicos luso no assunto.

A expectativa é a de que o acordo de paridade cambial entre o arquipélago de São Tomé e Príncipe e Portugal entre em vigor já em Janeiro de 2010.

O acordo de paridade cambial será apoiado por uma linha de crédito de até 25 milhões de euros, segundo uma recomendação feita pela Comissão Europeia ao governo português.

"A fim de apoiar a estabilidade macroeconômica e financeira de São Tomé e Príncipe, as autoridades portuguesas pretendem celebrar um acordo com este país e criar uma linha de crédito especial que ajude a reforçar as reservas de divisas de São Tomé e Príncipe", afirma a recomendação de Bruxelas, a qual a Agência Lusa teve acesso.

Exemplo Um acordo semelhante foi assinado entre Portugal e Cabo Verde em 21 de dezembro de 1998, que permitiu que o escudo cabo-verdiano se ancorasse ao euro, numa paridade fixa depois de ter estado indexado ao escudo português.

A adoção de um regime de taxa de câmbio fixo, segundo a economista-chefe do banco BPI, Cristina Casalinho, permite conferir estabilidade a São Tomé e um reconhecimento da mesma por parte dos países externos, que é favorável à atração de investimento direto estrangeiro.

Também o especialista em mercados cambiais do BPI, Agostinho Alves, destaca o fato de a indexação anular os problemas cambiais nas relações comerciais de São Tomé com Portugal e também com a zona do euro.

"São Tomé vai tentar fazer com que a sua economia consiga funcionar com uma moeda forte e estável. Se conseguirem fazer isso, dão maior saúde à sua economia e anulam o fator cambial, transportando o fator competitividade para outros níveis, nomeadamente, para o produto", concluiu.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host