! Bilionários portugueses não escapam da crise, diz revista - 29/07/2009 - Lusa - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

29/07/2009 - 18h45

Bilionários portugueses não escapam da crise, diz revista

Porto, 29 jul (Lusa) - A fortuna do empresário luso Américo Amorim foi a que mais caiu em 2009, ano em que as fortunas dos 25 mais ricos de Portugal caíram, em média, 8,5%, segundo o ranking da revista portuguesa Exame, divulgado nesta quarta-feira.

A publicação informa que a fortuna do homem mais rico de Portugal caiu 35%, para 2 bilhões de euros (R$ 5,33 bilhões), tendo sido prejudicado pelo desempenho dos investimentos na área financeira, agravada pela crise internacional.

A segunda maior queda foi protagonizada pelo investidor madeirense Joe Berardo, cuja fortuna registrou uma queda de quase 30%, para 618 milhões de euros (R$ 1,64 bilhão), resultado sobretudo da desvalorização das suas ações no BCP (maior banco luso privado).

Nem o presidente do conselho de administração do grupo Sonae, Belmiro de Azevedo, ficou imune à crise generalizada, tendo a sua fortuna caído neste ano 16,5%, para 1,4 bilhão de euros (R$ 3,73 bilhões).

Segundo a revista Exame, em dois anos, o empresário perdeu metade da sua riqueza, que, em 2007, atingia 3 bilhões de euros (R$ 7,9 bilhões), o que lhe dava a liderança da tabela dos mais ricos.

As 25 grandes fortunas em Portugal caíram 8,5% em 2009, para os 17,7 bilhões de euros (R$ 47,2 bilhões), uma quebra registrada pelo segundo ano consecutivo.

Entre 2004 a 2007, o valor das fortunas esteve sempre em sentido ascendente, atingindo o seu valor mais alto em 2007.

A tendência de queda teve início em 2008, com os 25 mais ricos valendo 19 bilhões de euros, caindo agora para os 17,7 bilhões, representando 10,7% do produto interno bruto português.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host