UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/09/2009 - 08h51

Comércio luso-espanhol diminui 22% entre janeiro e maio

Porto, 9 set (Lusa) - O comércio e investimento entre Portugal e Espanha registraram uma acentuada queda de janeiro a maio, mas a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola (CCILE) acredita numa recuperação "a curto prazo, com o crescimento da atividade econômica nos dois países".

Segundo dados da CCILE, nos primeiros cinco meses deste ano as compras portuguesas da Espanha tiveram um volume mensal médio de 1,1 bilhão de euros, contra 1,4 bilhão em 2008. Já as exportações se fixaram nos 570 milhões de euros mensais, contra 800 milhões no ano passado.

Globalmente, os fluxos comerciais somaram 8,4 bilhões de euros, menos 22% do que os 10,8 bilhões do mesmo período do ano passado.

"Trata-se evidentemente de um reflexo da atual conjuntura econômica que vivem as duas economias ibéricas, com um forte impacto na atividade exportadora", considerou o presidente da CCILE em entrevista à Agência Lusa.

Segundo Enrique Santos, também a nível do investimento direto entre Portugal e Espanha "tem havido uma acentuada quebra". O investimento bruto espanhol em Portugal não ultrapassou os 38 milhões de euros no primeiro trimestre, contra 330 milhões no mesmo período do ano passado, enquanto o investimento português na Espanha foi de 12,5 milhões de euros - o valor mais baixo desde 2005.

Contudo, ele sustenta, "é de prever, a fazer fé nos índices macroeconômicos que apontam alguns sinais de recuperação a curto prazo, que com o crescimento da atividade econômica nos dois países se inicie um novo ciclo de crescimento da atividade de investimento".

Como exemplos, o presidente da CCILE aponta a recentemente anunciada compra, pelas Tintas Barbot, de uma empresa do setor na Espanha, e a decisão aguardada quanto a um "importante projeto de investimento" da Repsol no Complexo de Sines e do El Corte Inglês, em Portugal.

Estados

No contexto do comércio luso-espanhol, a comunidade autônoma da Catalunha continua, segundo os dados da CCILE, a ocupar um lugar de destaque, sendo responsável pela maior fatia das importações portuguesas da Espanha (25%, no valor de 1,4 bilhão de euros).

Em seguida ficou a comunidade de Madri, com 914 milhões de euros (16,2%) e a Andaluzia (558,7 milhões de euros e um peso relativo de 9,8%).

Já nas vendas de Portugal para Espanha, a Catalunha surge na terceira posição (depois da Galiza e de Madri), com um volume de 472,5 milhões de euros em 2008, equivalente a 16,8% do total.

A Galiza lidera, com um peso relativo de 21%, seguida de Madri, com 17,9 %.

Segundo Enrique Santos, "também no investimento esta evolução tem sido muito positiva, com uma importante presença empresarial catalã em Portugal".
Hospedagem: UOL Host