UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/09/2009 - 15h16

UE e África do Sul ampliam cooperação econômica

Cidade do Cabo, 11 set (Lusa) - A África do Sul e a União Europeia (UE) ratificaram nesta sexta-feira uma emenda ao Tratado de Comércio, Desenvolvimento e Cooperação (TDCA), que havia entrado em vigor em 2000 e que agora se estende a novos setores da economia.

A delegação sul-africana, presidida pelo presidente Jacob Zuma, e a da União Europeia, chefiada pelo premiê sueco, Frederik Reinfeldt, assinaram o documento no final da cúpula que foi realizada em Kleinmond, na Cidade do Cabo.

No documento, eles elogiam o reforço das relações entre a maior economia africana e o bloco europeu, simbolizado por este acordo.

"O acordo abrirá o caminho a uma melhor e mais profunda relação bilateral e a novas áreas de cooperação. Estamos convencidos de que desde a última reunião congregamos esforços nas áreas das migrações, saúde, energia, tecnologias de informação e transportes marítimos, bem como nas já existentes de ciência e tecnologia, comércio, desenvolvimento, meio ambiente e desenvolvimento sustentado, assim como no diálogo político e de segurança", indica o texto.

O secretário espanhol das Relações Exteriores, Angel Lousada, que ocupará a próxima presidência europeia, e a comissária Karel de Gucht, representante da Comissão Europeia, fizeram também parte da delegação da UE.

Agenda

O encontro revisou um vasto leque de assuntos das relações bialterais, bem como diversos conflitos e situações de instabilidade política na África e Oriente Médio.

A União Europeia saudou a criação e consolidação do bloco econômico e aduaneiro da África Austral (SADC), reconhecendo a importância dos blocos regionais e integração.

Sobre o Zimbábue, as duas delegações declaram-se satisfeitas pelos progressos feitos desde a criação do governo de unidade nacional entre a ZANU-FP de Robert Mugabe e o MDC de Morgan Tsvangirai e Arthur Mutambara.

No entanto, eles se mostraram preocupados pelo ambiente em que ele está sendo implementado, pedindo aos protagonistas que se empenhem profundamente para que ele seja aplicado com sucesso.

Preocupações e promessas de planos de ação na área das alterações climáticas, formas coordenadas de resolver a crise e a cooperação Europa-África do Sul, no campo das tecnologias e formação profissional, também foram apontadas no comunicado conjunto final.

"Reconhecemos a importância da educação e do desenvolvimento das aptidões pessoais para o crescimento econômico e a redução da pobreza e aguardamos o estabelecimento de um foro de política setorial dedicado ao treino e formação profissional, assim como o planeado programa da Comissão Europeia no sector da educação da África do Sul para o ano de 2009", conclui o documento.
Hospedagem: UOL Host