UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/09/2009 - 09h07

Rússia entra na era dos trens de alta velocidade

Por José Milhazes, da Agência Lusa

São Petersburgo, 15 set (Lusa) - A Rússia entra na era da alta velocidade através de um "compromisso" entre a moderna tecnologia alemã e as ferrovias russas ainda não modernizadas.

Os Veralos Rússia, trem de alta velocidade (TGV) fabricado pela empresa alemã Siemens, deverão começar a circular em dezembro entre a capital Moscou e São Petersburgo.

Além disso, Vladimir Zinner, diretor do Departamento de Alta Velocidade das Ferrovias da Rússia (RZD), não tem dúvida de que o primeiro trem-bala a conectar as duas maiores cidades russas podem concorrer com o automóvel e o avião.

Sapsan (Falcão) é o nome do primeiro trem e os testes com os aparelhos revelaram já as boas perspectivas do moderno meio de transporte.

Mesmo utilizando a atual infra-estrutura existente, o Sapsan deverá circular a uma média de 150 km/h, o que permitirá superar os 660 km que separam Moscou e São Petersburgo em 4h15.

Em comparação com os atuais trens russos, o trem-bala faz apenas poupar 33 minutos, mas, além de prometer velocidades bem mais altas quando for construído uma ferrovia especial (até uma média de 350 km/hora), já agora garante mais espaço, conforto e segurança.

Crise

Inicialmente, a Rússia planejava comprar da Siemens 60 trens, mas a crise obrigou a rever os planos e a reduzir esse número para oito.

Mas trata-se de dificuldades temporárias e as autoridades russas afirmam estar decididas a modernizar as infraestruturas do país.

"O nosso objetivo é construir até 10 mil quilômetros de linhas férreas de alta velocidade até 2030", declarou à Agência Lusa Vladimir Zinner.

"Vamos apostar principalmente nas distâncias médias, onde o poder de concorrência do TGV é evidente em comparação com o avião, para já não falar do automóvel", acrescentou.

Num país onde praticamente não existem estradas, uma viagem entre Moscou e São Petersburgo de automóvel leva, em média, oito a nove horas, o que faz com que este meio de transporte não seja concorrente do trem de alta velocidade.

"O TGV também vai concorrer com o avião. Embora o voo entre Moscou e São Petersburgo demore apenas 1h20 minutos, é necessário estar no aeroporto duas horas antes do voo e, antes disso, é necessário chegar ao aeroporto", afirmou Hans-Jorg Grundman, chefe do Departamento de Mobilidade da Siemens.

Além disso, Grundman acrescentou que "tendo em conta as extensas filas de carros nas estradas das duas cidades russas e o fato de os aeroportos se situarem nos arredores, a viagem do avião não se torna mais rápida".

Ele ainda aponta outras vantagens: "o passageiro terá muito mais espaço, poderá usar computador e celular no trem e o bilhete será mais barato".

Segundo a direção da RZD da Rússia, o bilhete (ida e volta) entre Moscou e São Petersburgo deverá rondar os 100 euros, enquanto que a passagem de avião custa 130 euros.

"E não se pode menosprezar o fato de o TGV ser incomparavelmente menos poluente", concluiu Grundman.
Hospedagem: UOL Host