UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/09/2009 - 20h01

Portugal quer dialogar sobre energia alternativa com Caracas

Caracas, 18 set (Lusa) - O ministro português das Finanças, Economia e Inovação, Teixeira dos Santos, afirmou que Portugal tem uma capacidade técnica reconhecida na área das energias alternativas que pode partilhar com a Venezuela.

Teixeira dos Santos defendeu que Portugal quer identificar novas áreas de cooperação e aprofundar a sua relação com a Venezuela.

"A minha preocupação é, de fato, a de fazermos um ponto da situação do desenvolvimento desta relação, desde que celebramos o acordo com a Venezuela, quando o primeiro-ministro português cá esteve, e poder identificar novas áreas na base das quais a relação poderá intensificar-se e aprofundar-se", disse.

Teixeira dos Santos falava à Agência Lusa durante uma viagem de dois dias à Venezuela, em que foi acompanhado por uma delegação empresarial portuguesa.

O ministro ressaltou que está na Venezuela "essencialmente para reafirmar o grande empenhamento de Portugal em desenvolver esta relação comercial".

"Estamos a fazer um grande esforço de promoção dos produtos portugueses, da sua exportação, a desenvolver uma diplomacia econômica bastante ativa, no sentido de podermos diversificar a nossa exportação para outros mercados", disse à Agência Lusa.

"A Venezuela é sem dúvida um mercado que deve merecer a nossa atenção - não esquecemos que vivem aqui 600 mil portugueses", acrescentou.

Experiência

A "área da energia e muito especialmente a área das energias renováveis" poderá ser uma das áreas potenciais que podem ser desenvolvidas, no entender de Teixeira dos Santos.

"Portugal, neste momento, tem vindo a merecer o reconhecimento internacional pelos progressos que fez, no domínio das energias renováveis e temos já uma capacidade de produção e um know-how, uma capacidade técnica significativa nesses domínios", disse.

"A experiência e o saber que nós já acumulamos podem ser partilhadas com países como a Venezuela. Creio que a Venezuela tem aqui um grande trabalho a desenvolver, no seu planejamento energético, na identificação do seu potencial energético, na forma de configurar o seu sistema energético para melhor servir as suas populações, na forma como pode explorar energias alternativas", disse.

Segundo Teixeira dos Santos, "a questão das energias alternativas não é uma questão exclusiva dos países que não têm petróleo, é também dos países que têm petróleo como é o caso da Venezuela".

"Vejo aí um campo muito importante, no qual Portugal pode estreitar a sua relação com a Venezuela e continuar a dar um impulso às trocas que temos vindo a desenvolver", disse.

Desde 2007, as trocas globais com a Venezuela foram multiplicadas por sete e as exportações portuguesas para Caracas são "quatro ou cinco vezes" maiores que em 2007, o que "revela bem o impacto que os contactos e as missões econômicas, que temos vindo a manter com a Venezuela, podem ter nas trocas comercias".
Hospedagem: UOL Host