UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

21/09/2009 - 17h03

Banco do Brasil Portugal inicia integração ao BB Viena

Lisboa, 21 set (Lusa) - O Banco do Brasil em Portugal passa a estar integrado no BB Viena, banco onde a instituição está reunindo todas as suas agências na Europa, numa reestruturação que começou no mercado português.

A escolha de Viena e não de Lisboa "tem a ver com questões de ordem fiscal, em que Portugal perde competitividade na comparação, mas também com o fato de em Viena a instituição já existir como banco e não como sucursal", explicou José Carlos Neves, diretor do Banco do Brasil.

Além disso, a Áustria não permitia que o banco atuasse como sucursal. O BB Lisboa é o primeiro a ver as suas agências integradas no banco único europeu do Banco do Brasil, ao qual passa a se reportar, "mas de seguida serão as restantes operações" na Europa, ou seja, França, Espanha, Itália e Alemanha.

"Faz parte da estratégia de atuação do Banco do Brasil na Europa, visando maximizar os resultados e modernizar todo o modelo", explicou o novo administrador da operação em Portugal.

Um dos objetivos do novo modelo é passar a atuar não apenas na captação de recursos interbancários - objetivo primeiro da expansão do banco na Europa já na década de 70 -, mas também como banco de varejo incorporando novos canais e produtos.

É dentro desse novo modelo e estratégia que passa a haver "possibilidade de criar produtos direcionados aos clientes de varejo para toda união europeia diferentemente do modelo anterior onde só podíamos operar no mercado português", exemplificou Neves.

Para os cerca de 22 mil clientes que o banco tem em Portugal "pouco muda sob o ponto de vista do atendimento, porém, em função de nos tornarmos um banco europeu, passamos a ter status de banco Europeu" e há também "uma série de mudanças internas, quer sob o ponto de vista fiscal, quer sob o ponto de vista regulatório e operacional", adiantou.

"Com a junção das agências, aumentamos também a capacidade de melhor atender os clientes corporate, já que aumentamos nosso patrimônio líquido e assim a capacidade no atendimento a solicitações de crédito", sustentou a mesma fonte, apontando ainda como "ponto fundamental a possibilidade de centralização das operações de back-office, reduzindo custos e maximizando a força de trabalho", que em Portugal conta 48 funcionários, nas quatro agências existentes.

Expandir a rede é "uma questão a longo prazo" e uma possibilidade que "só será proposta" em função dos resultados desta reestruturação, disse ainda o responsável do banco em Portugal.
Hospedagem: UOL Host