UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

22/09/2009 - 09h57

Economia não sentiu todo impacto da ajuda pública, diz Brown

Londres, 22 set (Lusa) - O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, considerou nesta terça-feira que o maior impacto dos programas governamentais para estimular a demanda ainda não foi totalmente sentido na economia global. Além disso, ele afirmou recear que as ajudas possam ser suspensas precipitadamente.

"O estímulo que já demos à economia mundial é maior do que o estímulo que já tivemos", disse Brown antes de partir para a cúpula do G20, em Pittsburgh, nos EUA. "O que queremos é garantir a retoma de uma recessão que chegamos a recear que se transforme numa depressão", acrescentou.

Alguns políticos no Reino Unido estão pedindo ao Governo para travar as despesas públicas para que se concentre na redução do déficit público, que no próximo ano vai exceder os 12% do Produto Interno Bruto (PIB).

O Fundo Monetário Internacional (FMI) avaliou em abril o custo dos pacotes de estímulos à economia entre 2008 e 2010 em 3% do PIB no Reino Unido, 3,2% nos Estados Unidos e 2,9% no Japão.
Hospedagem: UOL Host