UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/09/2009 - 11h33

Wynn Resorts pretende construir cassino em Macau em 2010

Macau, 24 set (Lusa) - A Wynn Resorts, operadora de jogo norte-americana com uma concessão em Macau, prevê construir em 2010 um cassino na zona do Cotai, que considera ser a "oportunidade mais extraordinária do mundo".

O fundador e líder do grupo, Steve Wynn, que se deslocou esta semana a Hong Kong para promover a listagem das operações da Wynn no mercado bolsista local, explicou que o grupo "está a trabalhar num projeto para o Cotai há já sete meses".

"Acreditamos que tivemos uma ideia completamente única e inovadora que nunca foi realizada", frisou o magnata.

A Wynn Resorts será a primeira empresa norte-americana a ser listada na bolsa de Hong Kong, operação que está agendada para 9 de outubro. O lançamento da oferta pública de ações será correspondente a 20% das operações de Macau, através da qual a empresa espera captar US$ 1 bilhão.

"Queremos tornar-nos numa empresa mais chinesa", destacou Wynn, acrescentando que a entrada na bolsa de Hong Kong permitirá a Wynn Resorts "ser uma empresa chinesa, com propriedade chinesa".

A operação - coordenada pelos bancos de investimento J.P.Morgan, Morgan Stanley e UBS AG -, permitirá o financiamento de projetos da Wynn em Macau, como o segundo cassino em construção.

O Encore Macau, com abertura prevista para abril de 2010, tem um investimento calculado em US$ 2,3 bilhões e contará com cerca de 400 suítes de luxo, restaurantes, lojas e um cassino.

Além disso, Wynn confirmou que as autoridades da província de Guangdong, sul da China, aliviaram as restrições impostas, em setembro de 2008, à emissão de vistos individuais para a entrada em Macau. A medida era aguardada pelas operadoras de jogo com expectativa, já que a maioria dos jogadores dos cassinos da região administrativa especial são oriundas do continente chinês.

Desde meados de 2008 que os chineses residentes na província de Guangdong apenas conseguiam um visto de entrada individual em Macau uma vez de três em três meses e, um ano depois, voltam a conseguir autorização para visitar Macau uma vez por mês.

A Wynn Resorts, cujas receitas dependem em grande parte dos jogadores VIP, cuja maioria provém do sudeste asiático, relativiza um eventual impacto no negócio em Macau com a abertura de cassinos em Cingapura, prevista para meados de 2010.

"Jogadores de diversas origens vão deslocar-se a Cingapura quando os cassinos abrirem e, se tiverem uma boa experiência, vão regressar, mas a proximidade continuará a ser o factor mais forte", defendeu Wynn.

Em agosto, quando os cassinos de Macau bateram um novo recorde de receitas brutas (986,8 milhões de euros), a Wynn tinha uma cota de mercado de 13%.
Hospedagem: UOL Host