UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/09/2009 - 10h20

Cabo Verde quer parcerias com empresas norte-americanas

Cidade da Praia, 25 set (Lusa) - Parcerias com empresas norte-americanas em praticamente todos os domínios e a garantia de novo pacote financeiro da Millenium Challenge Corporation (MCC) constituem a meta que Cabo Verde traçou para a sua participação na cúpula empresarial EUA-África.

A cúpula, que decorre em Washington de 29 deste mês a 1º de outubro, conta com a presença de vários líderes africanos e norte-americanos, empresários e políticos, e é co-organizada pelo MCC e pelo Corporate Council on Africa (CCA), que representa as preocupações do setor privado nos Estados Unidos.

A presença de Cabo Verde será assegurada pelos respectivos embaixadores em Washington e nas Nações Unidas

O MCC, que mantém um programa em Cabo Verde, o Millennium Challenge Account (MCA), e outro em Moçambique, tem disponível para 18 países um montante de US$ 6,44 bilhões, destinados a concursos públicos nos próximos 18 meses a dois anos.

Na reunião, que acontece de dois em dois anos, as duas organizações vão apelar às empresas norte-americanas para investirem na África, onde, considerou a Diretora Geral para Iniciativas do Setor Privado do MCC, Jeri Jensen, o investimento "é agora mais atrativo para as empresas do que antes da crise financeira mundial".

O MCC, segundo Jensen, quer aproveitar a cúpula para aumentar os conhecimentos do setor privado norte-americano sobre os programas da organização, "um parceiro natural para o setor privado em África", uma vez que surgem "novas oportunidades".

As relações bilaterais entre Cabo Verde e os Estados Unidos estão tendo um forte impulso, sobretudo na sequência da visita ao país que a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, fez em meados de agosto e depois do almoço de trabalho de terça-feira em que o primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria neves, foi pessoalmente convidado por Obama.

Paralelamente, o ministro cabo-verdiano das Relações Exteriores, José Brito, além de ter representado Cabo Verde no início dos trabalhos da 64ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York, manteve uma série de contatos com as autoridades norte-americanas para debater um vasto número de temas, como segurança, narcotráfico, crime organizado, energia, ambiente, água, agricultura, segurança alimentar, violência doméstica, aprofundamento da democracia, justiça e equidade de gênero.

José Brito discutiu ainda com a administração do MCC a continuação do programa MCA Cabo Verde, que termina este ano, estando em curso negociações para prolongar a assistência financeira norte-americana ao setor das infra-estruturas.
Hospedagem: UOL Host