UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

03/11/2009 - 12h25

Deputado usa dado da UE para atacar política econômica lusa

Lisboa, 3 nov (Lusa) ? O deputado do Partido Social Democrata (PSD) Miguel Frasquilho afirmou nesta terça-feira que as previsões econômicas do Outono feitas pela Comissão Europeia (Executivo da União Europeia) indicam que "Portugal vai continuar na rota de empobrecimento" e com "dificuldades acrescidas" para controlar as contas públicas.

Em declarações à Agência Lusa, Frasquilho ressaltou que, de acordo com as previsões da Comissão Europeia divulgadas nesta terça-feira, "Portugal só cresce acima da média da União Europeia em 2009, e com um crescimento negativo" de 2,9%.

"Em 2010 e 2011, Portugal é dos países que menos crescem. O que se prevê é que Portugal vá continuar a empobrecer, a perder terreno face à média da União Europeia e que a vida em Portugal vá cada vez mais difícil", disse o deputado e vice-presidente do grupo parlamentar do PSD.

"É um cenário econômico que não é favorável a Portugal. Portugal vai continuar na rota de empobrecimento e de definhamento em que já está há cerca de dez anos", acrescentou Frasquilho.

Quanto ao déficit, o deputado social-democrata disse que "são projeções muito negras, de 8% em 2009 e 8,7% em 2011".

"Isto significa que Portugal vai ter dificuldades muito, muito acrescidas para colocar as contas públicas em ordem. O primeiro-ministro (José Sócrates) tem dito: pusemos as contas públicas em ordem. Não pusemos nada. Os dados são reveladores dessa realidade", criticou.

Embora os números divulgados nesta terça sejam, "em geral, menos negativos do que as previsões anteriores", eles indicam que "os portugueses vão continuar a ter uma vida muito complicada e sem perspectivas animadoras pelo menos até 2011", resumiu.

Segundo Frasquilho, nestas previsões a Comissão Europeia "antecipa a manutenção da política econômica, porque o governo é novamente socialista, as caras, boa parte delas, são as mesmas", e exige-se uma mudança de política econômica em Portugal.

"Seria altura de o governo mostrar abertura para as propostas ? nomeadamente do PSD ? que vão no sentido de alterar o modelo de desenvolvimento do país, com uma aposta no apoio às pequenas e médias empresas (PME) e às exportações", defendeu.

De acordo com as previsões de Outono da Comissão Europeia, a economia portuguesa vai registrar queda de 2,9% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano. Para 2010, o crescimento previsto é de 0,3%, e para 2011, de 1,0%. A taxa de desemprego calculada para este ano e para o próximo é de 9%.
Hospedagem: UOL Host